Tag

feminismo

Browsing

Na semana em que se comemora o Dia Internacional da Mulher (8 de Março), o dia do nascimento deste blog (8 de Março) e o dia do nascimento da Diana (8 de Março), e depois de um apuradíssimo estudo empírico, descobrimos os tipos de feministas que existem. Texto: Diana Ilustração: Rita O feminismo, valha-nos deuses, cruz credo, benzam-se três vezes, é um palavrão. Uma coisa feia que se usa para ofender, juntamente com os epítetos “lésbica” ou, na versão mais hardcore, “sapatona”, “frígida” ou apenas “fufa”. Apesar de ser um tema cada vez mais discutido, ainda é visto como exagero, disparate, coisas de mulheres que odeiam homens. Os homens gozam, as mulheres dizem que detestam feministas, e a pobre idealogia que deveria ser de todos, uma crença tão simples e justa que deveria fazer parte da educação de todos – à semelhança do “tens de lavar os dentes todos os…

Um pai feminista não quer que lhe peçam a mão da filha em casamento, porque sabe que a mão é dela e que deve casar com quem bem entender. Texto: Diana Ilustração: Rita Não sei se educar uma rapariga é mais complicado do que um rapaz. Suponho que não. Também não sei se ser mulher é mais difícil do que homem, mas desconfio que sim. Sobre homens giros nunca nenhum/a candidato/a à presidência de um dos países mais poderosos do mundo disse “eu gosto de agarrá-los pelos tomates”. Não que Trump seja exemplo de alguma coisa, mas ele infelizmente existe e disse “grab them by the pussy”, referindo-se ao que gostava de fazer às mulheres bonitas. Já Obama, cujo mandato chega ao fim, é um feminista. À revista “Glamour” disse que “apesar de já termos chegado muito longe, ainda há muito trabalho a ser feito para melhorar as perspectivas de vida para…

A Mattel distinguiu 12 mulheres portuguesas com uma Barbie feita à sua semelhança. A ideia era acabar com o estigma de loura burra. Nós não concordamos com a lista e decidimos fazer uma nova.  Texto: Diana Ilustração: Rita Quando era pequena um dos meus maiores sonhos, a par de ter cabelo liso e loiro e um carro descapotável, era ter uma Barbie. Infelizmente os meus pais, que tinham a mania que eram modernos e intelectuais, achavam que a boneca transmitia noções erradas de beleza, carregadas de futilidade e pressão para a perfeição. Não sei se era da cintura de vespa da Barbie, ou das mamas grandes, mas a verdade é que a detestavam. Eu, por outro lado, adorava-a. Num Natal recebi uma caixa que prometia uma Barbie. Abri-a, quase a rebentar de felicidade, mas o que saiu lá de dentro foi uma Skipper, a irmã mais nova da Barbie. Uma boneca de pés…

A escritora espanhola Rosa Montero, autora de livros como “Instruções para Salvar o Mundo” ou “A Louca da Casa”, tem um novo livro, “O Peso do Coração”. A outra boa notícia é que ela falou com o Amãezónia. Texto: Diana Ilustração: Rita Vive em Madrid, mas tem um pequeno apartamento em Lisboa onde às vezes escreve. É jornalista e colaboradora exclusiva do jornal El País, defensora dos direitos dos animais e salvadora de cães abandonados. Feminista, leitora de manuais científicos e de literatura de ficção científica, Rosa Montero já ganhou vários prémios com a sua escrita. O novo livro da escritora espanhola devolve-nos a detective Bruna Husky, uma andróide (replicante), com quem Montero assume ter uma grande semelhança. É a sua personagem preferida, que nasceu com “Lágrimas na Chuva”, é uma “tigre da vida”, como a descreve, que protagoniza este “romance existencial” passado no longínquo futuro de 2109. Quando criou Bruna Husky no livro “Lágrimas na…