Autor

Amãezónia

Browsing

Texto: Diana Ilustração: Rita Nascemos em 2015 cheias de energia, com filhas de dois anos, e com muito para dizer ao mundo sobre a maternidade. Quisemos que soubessem que nem tudo são lacinhos e folhos, nem tudo é cor de rosa – na maioria das vezes é como uma bola de plasticina feita com as cores todas e que fica colada ao chão e às solas das pantufas. Pelo menos para nós. Quisemos dizer às outras mulheres que iam ser mães aquilo que nunca ninguém diz. Falar dos assuntos da gravidez, parto, pós-parto e filhos sem merdas nem paninhos quentes, mas com ironia e boa disposição. E estamos convencidas que conseguimos. Começámos o ano com planos megalómanos para este nosso cantinho, um sonho de criar uma revista para mulheres com filhos (e sem eles) sem folhos, nem laços XL, nem vestidos ao xadrez verde e vermelho. Mas mete-se a vida,…

Texto: Diana Parece que foi ontem que ela nasceu. Tão pequenina, frágil. Mas não. Passaram seis meses e a minha barriga continua firme. Ou melhor, extremamente flácida e a ocupar mais espaço do que o desejável. É como se não tivesse recebido o aviso de que a criança já saiu. E é triste. É uma barriga triste, mole, com celulite e grande. Não me deixa vestir as minhas boas e velhas calças de ganga, as minhas saias M, os meus vestidos. E por muito descontraída que seja, há dias em só apetece gritar para o espelho amaldiçoando a sorte, odiando o corpo todo, da ponta dos cabelos, à ponta dos pés. Ultimamente tenho sentido isso. E o que é que fiz? Dieta? Ginásio? Fui ver os sites de roupa, escolhi uma série de vestidos que disfarçam a barriga e não comprei nenhum porque não tenho dinheiro e tenho duas filhas. As…