Foto de Chris Barbalis

Texto: Diana

Parece que foi ontem que ela nasceu. Tão pequenina, frágil. Mas não. Passaram seis meses e a minha barriga continua firme. Ou melhor, extremamente flácida e a ocupar mais espaço do que o desejável. É como se não tivesse recebido o aviso de que a criança já saiu. E é triste. É uma barriga triste, mole, com celulite e grande. Não me deixa vestir as minhas boas e velhas calças de ganga, as minhas saias M, os meus vestidos.

E por muito descontraída que seja, há dias em só apetece gritar para o espelho amaldiçoando a sorte, odiando o corpo todo, da ponta dos cabelos, à ponta dos pés. Ultimamente tenho sentido isso. E o que é que fiz? Dieta? Ginásio? Fui ver os sites de roupa, escolhi uma série de vestidos que disfarçam a barriga e não comprei nenhum porque não tenho dinheiro e tenho duas filhas. As danadinhas saem caras.

Como espero não ser a única com estes problemas (preciso de companhia nesta luta, mesmo que virtual), decidi partilhar convosco. Há alguns truques que ajudam no momento de disfarçar a barriga: vestidos escuros, vestidos com padrões (exceto riscas na horizontal), vestidos fluidos e largos ou de corte a direito, ou com textura no tecido.

São vestidos para o dia a dia, vestidos para ocasiões especiais, vestidos para todos os gostos. Mas principalmente para o meu.

Cliquem nas imagens para os conhecerem a todos.

Autor

Os comentários estão fechados.