Texto: Diana

“Temos de parar de olhar para o passado senão só vemos o que perdemos.” Este conselho refere-se à maternidade. À saudade que se sente da velha e boa vida independente antes de ter filhos, um conselho que diz tudo numa altura em que o corpo ainda não nos pertence inteiramente e em que o cérebro não voltou a 100%. Uma altura em que sofremos uma espécie de transtorno de personalidade e deixamos de saber quem somos. “´Continuas a ser tu, a ser quem eras, só que também és mãe. Mas és tu, na mesma.” Outro sábio conselho da série.

“Maternidade e desapontamento” surgiu-me como sugestão da Netflix às 38 semanas de gravidez. Como é a segunda já ninguém me engana e vi o desespero daquelas mães acabadas de o ser com humor. E lembrei-me daquilo tudo. Da privação do sono, da amamentação, das lágrimas, do cansaço, do julgamento das outras pessoas. Da falta de vida social.

“The Letdown” é o nome original da série que tem ainda só uma temporada e foi escrita por duas mulheres: Sarah Scheller e Alison Bell que protagoniza a série. A sua personagem é Audrey, uma recém mãe, que quando sorri parace um esgar de sofrimento.

Quer estejam grávidas, acabadas de parir ou nem sequer pensem nisso, vale a pena ver. O grande desapontamento é que só tem sete episódios.

Autor

Os comentários estão fechados.