Depois da eco das 12 semanas, contámos à miúda, finalmente, que vem aí um bebé. Sentámo-nos à mesa e ela estava mais interessada em fazer desenhos do que em ouvir-nos. 

Texto: Diana
Ilustração: Rita

No dia em que os sacanas dos miúdos fizerem ou reagirem como estamos à espera, a Terra parará de girar, o sol irá transformar-se numa enorme fogo de artifício e mães e pais de todo o mundo verterão lágrimas de felicidade e incredulidade. Enquanto isso não acontece, não temos outro remédio senão engolir a expectativa, que sabe a sapos viscosos, e lidar com a frustração. É o come e cala, e é se queres.

A minha filha quer um irmão há algum tempo. Fala disso muitas vezes e na cabeça dela eu já estava grávida. Batia-me na barriga e dizia “barriga gorda”, olhava para as minhas grandes mamas e sublinhava esse mesmo facto: o de estarem grandes. Uma espécie de bullying infantil que aguentei estoicamente até ser altura de lhe contar. Esperei lágrimas de alegria, esperei saltos, esperei abraços. Em vão. Raio da miúda riu-se e pediu as canetas para fazer um desenho. Desilusão.

Insisti no tema, dei-lhe um abraço, ela voltou a rir e continuou a desenhar. Achei melhor não insistir. Passado um bocado veio com um desenho para o irmão ou irmã. Fofa. Agora, todos os dias pergunta se “o bebé” dormiu bem, se gostou de ir trabalhar. Não falo muito na gravidez para que ela não se sinta de parte mas a verdade é que ela está sempre a puxar o assunto. Explico-lhe que ela vai ser irmã mais velha e que isso é muito importante. E que lhe vai ensinar montes de coisas e ajudar a cuidar dela. Ela fica feliz com isso e faz planos para tudo o que fará quando o bebé nascer.

Irmao bebe

Fala para a barriga através do umbigo porque obviamente é por aí que a pequena criatura ouve e todos os dias pergunta pelo bebé, como passou o dia, como se sente, o que disse. Uma coisa incrivelmente amorosa que nem parece saída de uma criança cujo ranho está bastante amarelo por estes dias.

No entanto, durante alguns dias tornou-se mais carente e ligeiramente mais birrenta. Aguenta e não chora, pensámos, e a verdade é que a coisa passou. Vamos ver como vai ser.