Não é limpar vomitado, nem acordar a meio da noite com choros, nem sequer é treinar as crianças para deixarem as fraldas. São as pequenas coisas.

Texto: Diana
Ilustração: Rita

Há dias em que a paciência é tão curta como o pavio de uma vela usada. Tão curta como as calças de Michael Jackson. Tão curta como o cabelo de Eleven na primeira temporada de “Stranger Things”. Só me apetece gritar, atirar coisas ao ar, virar costas e ir embora para outra divisão da casa. É que as crianças são seres chatos e que não sabem fazer as coisas mais básicas desta existência humana. Assim, e porque adoro listas, fiz um ranking  das tarefas mais irritantes. Aquelas que me deixam mesmo fora de mim. Às vezes, vá.

Calça-me agora

 

  • Calçar a miúda: aqueles pés pequenos que mesmo assim demoram eternidades a entrar nos sapatos. Eu a tentar enfiá-los lá dentro, ela a olhar para cima, para o lado, a tentar agarrar em bonecos e o pé a mexer, sem qualquer respeito pelo meu esforço. Até ao momento em que dou um grito e digo “calça-te sozinha!”
  • Lavar-lhe os dentes: que seca descomunal. Se já é chato lavar os nossos próprios dentes, imagine-se de outros. Principalmente com dentes tão pequenos que quase nem se vêm. e a responsabilidade de escovar bem para que os miúdos não tenham cáries, o empenho que depositamos na tarefa enquanto, ao mesmo tempo, eles insistem em falar dificultando a coisa para o triplo. Raios partam.
  • Dar-lhe banho: além de ter de lidar com a birra incontornável que começa no momento em que digo “vamos tomar banho”, tenho de repetir cinco vezes para que se dispa, sou obrigada a pôr-me do joelhos porque, enfim, eles são seres pequenos, com dores nos joelhos e nas costas ainda tenho de dizer “levanta-te para te conseguir ensaboar” umas três vezes até perder a paciência de vez e acabar tudo num mar de lágrimas.
  • Refeições no geral: “Come”. “Pega no garfo/colher/pão”. “Bebe o leite.” “Mas porque é que não comes?” “Come sozinha!!” “Engole isso já está mais que mastigado.” “Mas tua ainda não comeste nada?” “Estás a gozar comigo?” Todas as p***s das refeições.
  • Casa de banho: “Quero ir à casa de banho”, diz ela em qualquer lado, normalmente naquelas alturas em que não dá jeito nenhum. Sempre que o meu marido está presente, essa tarefa cai para cima dele, mas há vezes em que não há como fugir. Se vamos a um restaurante a criança vai à casa de banho pelo menos duas vezes. Porra, pá.