Ser miúda não é fácil, ser mulher muito menos. Se tens um decote tens de aprender a viver com os olhares, se usas saias mais curtas, estás mesmo a pedi-las. Se fores muito gira ninguém te leva a sério porque só podes ser burra, se fores dura e inteligente, é porque te portas como um homem.

Texto: Diana
Ilustração: Rita

Podes chorar

  • Não sorrias só porque alguém te disse para o fazeres: ou porque ficas mais bonita, ou porque as meninas fixes devem sorrir. Manda essas pessoas pastar e ri-te apenas quando tiveres vontade.
  • Não tenhas medo nem vergonha de expressar as tuas opiniões, elas valem tanto como as de qualquer outra pessoa. Sim, até dos teus pais, professores ou chefes.
  • Não peças desculpa por “falares muito alto”, por “seres carrancuda”, “demasiado bem disposta” ou outra coisa qualquer. Não peças desculpa pelo o que és. Manda-os pastar.
  • Não deixes de ir a algum lado só porque não tens companhia. Se te apetece, vai. Vive as coisas – mas mantém-te sempre atenta.
  • Se os elogios ou comentários de alguém te deixarem incomodada, não deixes passar: diz à pessoa o que sentes e explica-lhe que aquilo não pode voltar a acontecer.
  • Não tenhas medo de ser antipática.
  • Não queiras que todos gostem de ti – não é possível.
  • Se não quiseres usar saias ou vestidos, não uses. Se quiseres usar ténis cor de rosa, usa. Tu é que sabes. Só tu.
  • Se alguém começar uma frase com “vê-se mesmo que é uma gaja” ou “as gajas é que gostam disso” ou “isso é mesmo coisa de gaja”, dá-lhe um murro imediatamente. Estou a brincar. Mas faz má cara.
  • Nunca digas “sim” só para seres educada. Que se lixe a educação. Diz “não” alto e bom som quantas vezes for preciso.
  • Se tiveres vontade de chorar, chora. Não é uma fraqueza, é o que faz de ti um ser humano.
  • Não faças dietas parvas, não peças a saladinha só porque todas pedem. Come a pizza, a massa, come o que quiseres. Come a salada só se te apetecer mesmo – não cedas à pressão.
Este texto foi adaptado deste.