Quando os filhos não são exactamente aquilo que queremos que eles sejam e que a sociedade nos pressiona para que eles se tornem.

Texto: Diana
Ilustração: Rita

Expectativa: Que eles sejam simpáticos e faladores.
Realidade: Agarram-se às nossas pernas e escondem a cara onde conseguem; fecham os olhos e choram aos berros recusando abri-los na presença de estranhos; estranhos e conhecidos olham para os pais com um misto de pena e “esta criança tem um problema”.

Expectativa: Que eles sejam bem educados, cumprimentando e despedindo-se sempre que se justifique.
Realidade: São de tal forma tímidos que só passadas duas horas de convivência é que se atrevem a abrir a boca e nunca é para dizer olá, nem adeus, apenas uma frase balbuciada com voz de mimo vulgo voz de bebé. Estranhos e conhecidos olham para os pais acusando-os silenciosamente de não saberem educar os filhos.

Timida

Expectiva: Que eles durmam a noite toda pelo menos a partir dos 3 meses.
Realidade: Acordam todas as noites até fazerem quatro anos. Várias vezes.

Expectiva: Conseguirmos organizar actividades e fazermos montes de planos juntos.
Realidade: Demoramos eternidades para sair de casa porque é “preciso trocar a roupa à Minnie”,”o vestido não é aquele” ou “fizeste papa mas eu queria iogurte com banana” e chegamos invariavelmente atrasados a todo o lado.

Expectativa: Que eles façam sempre o que lhes pedimos.
Realidade: Dizem “não” a tudo, recusam colaborar com os médicos em consultas de rotina e afins deixando os pais com os nervos em franja, enquanto a médica comenta “tanto mimo”, quando a criança procura refúgio na mãe, terminando o episódio com a criança a chorar e a deixar a mãe cheia de culpa por ter sido insensível à personalidade tímida da criança.

Expectativa: Que eles andem sempre limpos e giros.
Realidade: Unhas pretas dos pés e das mãos, ranho seco ao pé do nariz, cabelos desgrenhados e dedos no nariz a ameaçar ir para a boca logo a seguir, T-shirts foleiras porque quem é que tem dinheiro para comprar roupa alternativo-chique-cool ou força para lutar contra a Disney?

Expectativa: Aos três anos já vão saber de cor o “Betterman” dos Pearl Jam, o “Hey Jude” dos Beatles ou o “Drain You” dos Nirvana.
Realidade: Sabem todas as canções dos Caricas e da Sara de cor, assim como todas as canções portuguesas infantis horríveis e moralistas que ora tentam matar gatos, ora dizem que as crianças não devem correr para não se magoarem e que é preciso tomar conta das bolas e dos balões senão ficas a chorar. Não estão nem aí para o rock.