Que o Universo me ajude, que os planetas se alinhem para me apoiar, que o grande Urso me guie – a minha filha transformou-se numa criatura insuportável que, quando não está a chorar, está a ignorar-me.

Texto: Diana
Ilustração: Rita

Chamo-a uma vez, duas, três, à quarta já estou aos gritos e ela nem se digna a dizer “já vou”. Opta por não responder ao chamamento, não se digna a responder, sua alteza real, a criança de três anos.

Surdez selectiva

Todos os dias – TODOS – começam e acabam mal. Ela acorda relativamente bem disposta mas basta um passo em falso (meu, claro), uma peça de roupa errada, um pequeno-almoço que não é de seu agrado para as comportas dos olhos se abrirem. Chora porque a panqueca se partiu. Chora porque disse que queria pão mas afinal já não quer. Chora porque não quer leite, quer iogurte. Chora porque quer leite, não quer iogurte. Chora porque não era aquela camisola que queria vestir, embora a tivesse escolhido. Chora. O raio da miúda chora.

Quando sai da escola o choro começa no carro porque de repente decide que quer ir para casa de uma amiga. Chora porque quer comer naquele preciso instante em que eu estou no semáforo à espera que fique verde para poder ir para casa. Chora quando chega a casa porque sim. Chora porque não quer ir tomar banho. Chora na hora de jantar porque não gosta da comida. Basicamente a minha filha chora e amua. E finge que não me ouve. E diz que não quer ser amiga. Ainda bem, porque eu também não quero ser amiga dela. Detesto drama queens.

Acontece que estou cansada. Farta. Com vontade de fugir. Não sei se me zango, se ignoro, se mantenho a calma, se faça chantagem, se seja positiva e alegre. Na dúvida, já experimentei de tudo e nada resulta. A única coisa que resultaria seria fazer-lhe as vontades todas e isso, evidentemente, está fora de questão. Ou não estará? Continuo a preocupar-me em querer fazer dela um bom ser humano, ou desisto, faço dela um monstrinho prepotente, e quem vier depois que a ature?

Bom saber que todos mantemos o sentido de humor, miúdos. Agora vou ali perder a cabeça outra vez e já volto.

Autor

22 Comentários

  1. Andreia Duarte

    Tal e qual.. copy e paste de todas as suas sensações…
    De TODAS as BIRRAS que são CENTENAS delas diariamente, Birra por tudo e por nada,
    Birra porque tá sol porque tá chuva, por que o brinquedo não faz o que ele quer …..
    Neste momento nem consigo ter uma conversa razoável com o meu marido e partilhamos o nosso dia pois a gente abre a boca e ele não nos deixa falar, começa logo com as suas questões repetidas, as suas birras sem fim….arrrrrrrrrrrrrrrrrr estamos a chegar ao ponto de ter de marcar uma hora na agenda para podermos ter uma conversa sem quinhentas pausas!!!???
    Realmente ser mãe é o mais difícil do mundo, falhamos muito!!! Não conseguimos planear nada! nem organizar NADA tudo sai ao lado..
    Mas depois partimos a rir com as caretas deles ; ) com as histórias deles : ) e o nosso coração alegra-se depois ainda dizem Mamã goto muito de ti : )) e explodimos de alegria : )) e logo a segui gritam, xoram birram e voltamos á realidade ; )) só nos apetece fazer as malas de desaparecer ; ) eh eh eh
    beijinho garnde e um abraço cheio de força : ) Há dias de Chuva mas também há dias de Sol ; ))

  2. Beeem, nunca um post foi tão igual ao que se passa no meu dia-a-dia sem tirar nem por. Apenas uma excepção, é um rapaz 😉

  3. meu filho tb é assim, custa tanto; e essa dúvida do faço as vontades e crio um monstro, ou faço frente e ignoro, consolo, converso, distraio??? por vezes nada resulta. 🙁

  4. Catarina Gaspar

    Tenho 3 ! De 1, 2 a mais velha, fez a semana passada 4 anos. E os mais velhos estão nessa fase! Chorar, gritar, espernear…Não, não é bonito de se ver. 🙁 Tanto, os espectáculos deles, como as nossas dores de cabeça no fim do dia!

  5. Cláudia

    Por vezes nada resulta, mesmo! O meu segundo era (é?) assim… Houve dias em que tive de sair de casa para ‘esfriar a cabeça’. Fazia birras por tudo e por nada, em qualquer lugar. Quantas vezes viemos no metro com toda a gente a olhar para mim, porque a criança berrava e chorava, e eu em silêncio, a fazer que não era nada comigo. Para mim, fazer as vontades e criar um monstrinho não é opção, ainda que assim dê muito mais trabalho. E como custa e é um inferno, mais vale apertar com ele – maior responsabilização pelos seus atos, ou pela falta deles. Não sei se foi isso que resultou, se foi a idade. Com 9 anos, já são menos frequentes os momentos de crise… Haja paciência e crença de que não vão ser assim para sempre!

  6. Cláudia

    Por vezes nada resulta, mesmo! O meu segundo era (é?) assim… Houve dias em que tive de sair de casa para ‘esfriar a cabeça’. Fazia birras por tudo e por nada, em qualquer lugar. Quantas vezes viemos no metro com toda a gente a olhar para mim, porque a criança berrava e chorava, e eu em silêncio, a fazer que não era nada comigo. Para mim, fazer as vontades e criar um monstrinho não é opção, ainda que assim dê muito mais trabalho. E como custa e é um inferno, mais vale apertar com ele – maior responsabilização pelos seus atos, ou pela falta deles. Não sei se foi isso que resultou, se foi a idade. Com 9 anos, já são menos frequentes os momentos de crise… Haja paciência e a crença de que não vão ser assim para sempre!

  7. Quando achar a receita mágica para evitar estes dramas por favor envie-me!!!
    PS: estou mesmo a precisar e o meu já é mais velhinho 🙁

  8. Paula Duarte

    Oh my God… A minha do meio tem quase 11 anos e ainda é assim, santa paciência e muita Esperoterapia a ver se melhora

  9. Margarida Sousa

    Tenho um filho nesse estado… Tem 4 anos e um de 5 meses, e muitas noites mal dormidas e paciência num nível muito baixo. Identifico me na Totalidade.
    Vamos ganhar um pedacinho do céu… É garantido 😉

  10. Luísa Fernandes

    Por momentos pensei que isto só me acontecia a mim… Desculpem, mas fico feliz por ver que é mal geral!… Entendam, só me faz sentir normal!… Nem a propósito acabei​ de ler um artigo que de alguma maneira pode ajudar, nem que seja um bocadinho. Vou partilhar. (Desculpem o português, mas o sono e o avançado da hora não me permite melhor… … Melhores dias virão…)

  11. Ana Filipa Oliveira

    Serei exagerada se disser que isso é coisa para durar a vida inteira, mas de modos diferentes em cada fase?! Tenho um de 11 anos e uma de 10 meses… Assim só para ter de me chatear (a pequena ainda não chateia muito, mas lá haverá o dia que começa)… Para ter de me chatear em níveis diferentes. Era aborrecido sempre as questões já mais elaboradas e manipulativas do mais velho (sim, que eles são mais espertos do que parecem pelo tamanho e idade que têm, e tornam-se, sobretudo quando estamos distraídos, mestres em passar a perna), as pseudo discussões que cria, os ataques de raiva que esboça e as tentativas de se colocar em bicos de pés sobre nós. Pronto, assim tenho um novo modelo, em versão feminina, para me entreter com novas problemáticas e tira nervos, ou cria brancos.
    Força, camaradas e amigas, que a luta é das grandes.

  12. Isabel Rita

    ahhahahhaha….
    a minha filha (também de 3anos) é IGUALzinha! toda ela são dramas!!!
    e eu que não sabia o que isto era (o meu primeiro filho é um rapaz, e um “santo”!), vou ter que gerir (ou tentar!) este feitio de diva que a miúda tem…
    a maior parte das vezes ignoro, e mudo de assunto, mas com a minha só resulta se a birra for leve..:)

  13. Butterfly L

    Não ceder é a melhor receita. Claro que é fácil falsr, eu sou a educadora não sou a mãe! Mas os miúdos são super inteligentes e esticam, estivama corda até esta não aguentar mais. Por isso firmeza e convicção para a fera não se achar superior e que pode subornar a mãe!

  14. teresa alexandra

    A minha filha, que vai fazer brevemente 5 anos, é igual. Certo que nos últimos meses têm melhorado… numas coisas e piorado noutras. Agora dá-lhe para chorar e dizer “eu não sei porque choro, buááá´…” . É desesperante, já nem sei como a ajudar porque também eu preciso de ajuda. E, o que mais me irrita é que com o irmão (7 anos) é tudo tão fácil, ele é um doce (ela também quando não chora), sinceramente, até tenho medo de já estar a ganhar anticorpos contra a minha filha, mas assim que ela acorda até se ir deitar: chora, chora, chora… Deus me dê paciência!

  15. Não desfazendo….são todos iguais!!! (ou quase, que o meu mai velho era estilo anjinho tagarela…).
    Mas n se iludam, pq as stressadas somos nós. Eles n estão nem aí….
    A única coisa q me ajudou a passar as fases piores, foi procurar ajuda!
    Recomendo vivamente ❤.
    Os especialistas ajudam-nos a compreender/lidar com os nossos pequenitos, aliviam o nosso espírito e põem os miúdos a pensar na vida….(ah, pois!! Pq eles ficam um nadinha assim apreensivos…e isso não é nada mau!!! 😁😁😁)
    Eles estão apenas a ser crianças – para o bem e para o mal – e os adultos somos nós, pelo q nos compete aprender….
    Se eu soubesse o q sei hoje, tinha ido ao pedopsiq muito mais cedo!!!!
    Boa sorte a todas!!

  16. Bolas… parece que está a falar da minha filha… parece o retrato tal e qual daquilo que se passa connosco cá em casa… sinto que por vezes estou a ficar louca e já não sei mais o que fazer… é desesperante…ela tem quase 5 anos e está a meter-me doida com isto tudo… dizemos-lhe que:” agora não pode ser… só mais daqui a nada”.. quando nos pede algo que não podemos naquele momento fazer e ela logo de seguida responde com uma grande birra: “agora já não quero.”. a fazer birra e a chorar… é mesmo dramática…. lol não tem graça eu sei, mas já é o stress a falar…

  17. Existe alguma solução milagrosa para acabar com isto ou será para sempre assim?

  18. Ana Tavares

    Tal e qual cá por casa com a minha mais nova de 4 anos.
    Agora está nessa fase e tem dias que até com a própria sombra embirra.
    Chora porque olho pra ela ou se não olho ainda chora mais.
    Chora porque me embora, depois porque voltei. Chora porque quer fazer tudo sozinha mas depois porque quer a minha ajuda, e para ajudar à festa estas birras acontecem srmpre no final do dia, em que a malta quer é paz e sossego.
    Depois, perco a paciência e chora porque leva uma palmada mas logo a seguir parte me o coração ouvi dizer que a magoei.
    Mãe sofre…..

  19. A minha filha de 7 é igual, mas melhorou muito estas férias. Eu acho que parte do problema é sono de manhã que depois descamba logo o dia inteiro (e sim deita-se cedo). O meu filho do meio tinha algumas coisas do género e entretanto passaram lá pelo 8/9 anos. Acho que a maturidade resolve muita coisas. Mas, quando acontece, sinto que o que resulta mais é manter a calma e tentar desviar a atenção . Mas nem sempre tenho essa disponibilidade mental e tempo para esse trabalho. E grito muito.

  20. Mónica Gomes

    Afinal não estou sozinha no mundo… o texto parece que foi escrito pelo que se passa lá em casa…. mãe sofre!

  21. Verónica santos

    Obrigada pelo post.. identiquei-me.. já pensava que o meu filho não era normal.. acho que não há nada a fazer.. Bjs

  22. Revejo me com
    com Todos os pontos e virgulas com o meu filho Afonso de 7 anos. A diferença é que em vez de chorar faz birra….ja estive tentafa a deixar andar m assumi um compromisso de educa-lo ou pelo menos tentar e bem ou mal aqui estou…

Escreva um comentário