Estava muito contente, pensava que tinha tido a sorte de escapar à febre azul do movimento Frozen — afinal estava bem enganada. A minha filha, com 3 anos, nunca tinha falado muito ou pedido coisas relacionadas com o filme da Disney, mas quando entrou na pré-escola as coisas mudaram. 

Texto e ilustração: Rita

Todas as outras crianças já sabiam o que é o Frozen e conheciam o merchandising do mundo do gelo: os fios, elásticos do cabelo, cromos, perucas, porta-chaves, luvas, tiaras, copos com e sem palhinha integrada, brincos, enfim, um arsenal incrível que se multiplica ano após ano, perante o meu olhar incrédulo. Fico mesmo espantada com a criatividade dos fabricantes desta tralha toda, para imaginarem a próxima superfície onde vão estampar um desenho da Elsa ou do Olaf. O que os pais penam sem ninguém suspeitar! Não me posso queixar muito, porque a minha filha não é uma autêntica freak do Frozen, ainda assim, dei por mim secretamente saturada da magia do gelo.

Frozen

Apesar deste novo sentimento em relação a um boneco do cinema (sim, isto é uma coisa nova para mim), gosto muito de desenhos animados. É fácil de entender, gosto de desenhar, gosto de desenhos e de cinema de animação, está tudo ligado. Mas não percebo o encantamento da criançada por aquele desenho específico. Há tantas, pá, não podia ser a coelha do Zootopia, a Mulan, ou a Vaiana? O ursinho Pooh? A Mérida do Brave? Tão mais fixe! Destemida, determinada, ruiva! Não. Tinha que ser o pãozinho sem sal da Elsa.

Passo a explicar o quanto estou cansada do Frozen de 0 a 10, por categorias.

Cabelos: a raiz do problema foram os cabelos. Sempre fiz duas trancinhas à minha filha de manhã. Era o penteado oficial. Graças à Elsa passei a fazer apenas uma, bem mais pindérica, atrás. A minha filha perdeu de imediato o ar de bebé patusca e passou a parecer uma pré-adolescente antes de tempo. Além disso passámos a discutir de manhã (também) por causa do cabelo.

O quanto estou cansada de 0 a 10: 10

Roupas: nunca comprei nada do Frozen para vestir, mas as coisas vieram cá parar à mesma e fizeram a minha filha a criança mais feliz do bairro. Foi um momento de euforia e contentamento puros. O problema foi quando percebi que havia pressão para vestir a roupa da Elsa e da Ana. Sempre. Todos os dias, de preferência.

O quanto estou cansada de 0 a 10: 7

Amizades: por estranho que pareça, a dupla da neve influencia as amizades na escola e dita o tom do humor ao fim do dia. Tudo fluía naturalmente até perceber que havia contendas diárias na escola, para decidir quem faz o papel de Elsa nas brincadeiras. Todas querem ser a protagonista, e esse lugar, na cabeça das crianças, só pode ser ocupado por uma pessoa, que passa naturalmente a ser a líder. A partir daí é sempre a arrancar olhos. Quem é a Elsa manda, as outras piam fininho. Depois zangam-se. Praticamente esgatanham-se pelos lugares na escala hierárquica Frozen.

O quanto estou cansada de 0 a 10: 10

Carnaval: sou de uma zona do país onde há a cultura do Carnaval. Em casa dos meus pais sempre me mascarei: de indiana, de chinesa, de espanhola, de Emília do Sítio do Picapau Amarelo. A parte mais gira era fazer os fatos antes do dia de Carnaval. Aproveitávamos tudo para fazer os adereços — roupas antigas, lã, cartão, embalagens recicladas, restos de tecidos. Confesso que este ano, uma semana antes do Carnaval já andava a engendrar um plano para a minha filha não ir de Elsa ao desfile da escola, ainda que ela desejasse muito. Era contra tudo o que o Carnaval significa para mim. Vejam bem, esta intrusa da Elsa irromper pela minha vida e pelo meu Carnaval adentro. Era o que mais faltava. A minha filha foi de Rapunzel ao desfile da escola. E no dia seguinte vestiu-se deeeee: Elsa.

O quanto estou cansada de 0 a 10: 5

Música: houve uma altura em que tínhamos um repertório vasto, desde “Uma casa muito Engraçada”, até ao “Rebel Rebel” do David Bowie, agora temos uma lista composta invariavelmente por dois temas: “Já Passou” e “Let it Go”. Giro, não é? Só que, como nos dedicamos para que ela ouça coisas realmente importantes, a repetição desta melodia torna-se bastante irritante.

O quanto estou cansada de 0 a 10: 8

Em forma de conclusão deixo um pedido à Disney: por favor despacham-se a inventar um sucesso novo. Estou ansiosa para ser eu a cantar o “Já Passou”.