Há quem tenha medo das rotinas, mas o casamento também é feito de rotinas, de pequenos gestos que colam os dias. E Susana Almeida tem saudades da sua rotina a dois e já esteve mais longe de cortar os pulsos. Em sentido figurativo, claro.

Texto: Susana Almeida
Ilustração: Rita

Estou sozinha com os miúdos há treze dias, faltam dois dias para o meu marido regressar a casa e eu estou quase a cortar os pulsos.

Sinto falta de quem ponha o café a fazer de manhã enquanto eu tomo banho; sinto falta de quem se senta comigo no sofá a ver as notícias enquanto tomamos o pequeno-almoço; sinto falta dos braços que carregam o mais novo escada abaixo; sinto falta de quem me leva e vai buscar aos barcos todos os dias, sinto falta das mensagens a perguntar se é preciso fazer compras; sinto falta de quem me faz o jantar; sinto falta de quem adormece a mais velha quando eu estou demasiado cansada para birras de sono; sinto falta de quem conversa comigo sobre futebol, política, livros ou apenas sobre a estupidez dos outros; sinto falta de quem adormece comigo no sofá

Amor cola

Estes dias tenha sido só eu. Os meus braços a carregar mochilas e miúdos escadas abaixo, a levá-los à escola, a fazer compras, a ir buscá-los a correr ao final do dia, a fazer o jantar e a dar banhos a dobrar. Tenho sido só eu a contar histórias, a adormecer, a aturar birras de sono e saudades do pai, tudo em esforço, sempre.

O amor não são só as rotinas, dizem vocês. Pois não, o amor são também as surpresas, as escapadinhas de fim-de-semana, as idas ao cinema seguidas de uma noite num motel de beira da estrada, são os concertos e os jantares a dois, são as alegrias das conquistas que partilhamos, mas o amor na sua parte mais prática é feito de rotinas, nada sobrevive só de fogo de artificio.

E eu sinto falta da nossa cola, das rotinas do nosso casamento.

Como dizia a minha filha um destes dias: “Precisamos do pai em casa para ele me vestir o casaco, enquanto tu vestes o casaco ao mano, para ele me pôr a fazer chichi, enquanto tu dás a sopa ao mano. Um faz uma coisa e outro a outra. É assim não é mamã?”

Autor

2 Comentários

  1. Flor Cabral

    Olha, gostei do teu lado fofinho ❤
    Gostei muito do texto. E claro, concordo e revejo-me em quase tudo. Até na filha mais velha que faz comentários sagazes.
    Espero que já esteja tudo super colado por aí.

Escreva um comentário