Se o vosso filho tem conjutivite, não o levem para escola. Se ele tem piolhos, não o levem para a escola. Diarreia? Isso mesmo, fica em casa. Gripe? Otite? Amigdalite? Casa. 

Texto: Susana Almeida
Ilustração: Rita

Este texto é dedicado aos pais dos miúdos da escola dos meus filhos.

Há dias em que bato, literalmente, com a cabeça na parede. O meu filho mais novo passou a noite a vomitar. Eu e o meu marido tentámos encontrar explicações inócuas. A sopa caiu-lhe mal, parou-lhe a digestão, comeu demais e está maldisposto, não devia ter comido aquele iogurte, etc. Mas, de manhã, depois de lhe dar o leite e ele o vomitar de seguida no tapete da sala, o óbvio tornou-se ainda mais óbvio: apanhou outra vez uma puta de uma virose.

E eu bato com a cabeça na parede porquê? Para não bater com a cabeça na dos outros pais da escola.

Já perdi a conta aos dias em que fico em casa com os meus filhos. Não há mês em que não falte ao emprego e se agora até tenho uma chefia que compreende, no passado não foi bem assim e bem me lixei com isso, mas esse é tema para outro texto, ser mulher, mãe e ter uma carreira. Por agora, voltemos ao vomitado.

Quando engravidamos as outras mães não nos contam esta parte da maternidade. “Ah, vais perder-te a comprar roupas” é o que nos dizem enquanto nos enviam listas de enxoval, fazem festas na nossa barriga, dizem que estamos gigantes e que ser mãe é o melhor do mundo. Do vomitado, ninguém fala. Do vomitado que vamos limpar do chão ou da diarreia que passa das fraldas para a roupa. Ninguém fala do ranho que vamos aspirar do nariz dos nossos filhos, das bronquiolites, das otites, dos piolhos, das conjuntivites, das pneumonias, das gastroenterites, das faringites, das constipações e das gripes. Ninguém nos diz que o nosso frigorifico vai estar cheio de medicamentos para a febre, para a tosse, para as alergias, para os vómitos, para a falta de ar. Ninguém nos diz que também vamos apanhar essas viroses, mas que não vamos poder descansar porque os miúdos estão doentes. Ninguém nos diz que vamos esgotar os dias de assistência à família antes do meio do ano e também ninguém nos diz que há pais que deixam os filhos na escola sabendo que estão doentes, que há pais que dão ben-u-ron aos filhos para camuflar a febre e os deixam na escola.

Mae enfermeira

Para esses pais um enorme e caloroso “vão à merda”.

Eu sei que é difícil faltar ao trabalho. Sofri todas as consequências por o fazer para cuidar dos meus filhos, não só no ordenado miserável que recebo estando de baixa, mas também na progressão da carreira e na forma como as chefias e colegas nos vêem, mas independentemente de tudo isso, sempre fiz o que devia ser feito, não só pelos meus filhos que têm o direito a não estar na escola doentes, mas também pelos filhos dos outros que têm o direito de não serem expostos aos vírus dos meus filhos.

E por agora é tudo. O meu filho acordou da sesta e de certeza que os planos dele passam por vomitar o chão todo outra vez.

Autor

84 Comentários

  1. Ana Araújo

    Completamente solidária!!! é mesmo isso, fiquem com os putos em casa e não contagiem os outros!

  2. Primeiro de tudo a falta de respeito pela criança (filho doente) em que o pensamento do pai/mãe é “pois mas eu tenho de trabalhar”. . “Não posso mesmo faltar”

    Quando têm eles febres de 39 graus e estão a vomitar gostava de saber se mesmo assim vão trabalhar … não vão!! certamente porque o corpo não consegue … qual o dever da criança de o ter de fazer quandoo só quer cama ?!?! que injustiça !!!

    E além deles próprios, dos colegas , dos pais que depois têm de faltar porque os seus filhos foram contagiados pela criança em que o pai “tem de trabalhar” há as educadoras e auxiliares que ficam elas contagiadas ..
    Depois de limpar diarreias e vómitos consistentes andam elas a vomitar e “cagar fininho” (desculpem a expressão ) e terem elas de faltar …

    Realmente coitados dos pais em que os filhos mais uma vez estão doentes ….
    Mas….. para mim
    Coitados é dos filhos em que têm de, mais uma vez, ir para a escola doentes!!

  3. Patrícia Barbosa

    Amei! E isso é que é falar de forma clara, audível e sincera.
    Espero chegue às “cabeças geniais”

  4. Helena Castro

    Com que facilidade as mães estaremosas tecem juízos sobre o mundo em geral e as mães dos filhos ranhosos em particular!

  5. cristina maduro

    Artigo com uma importante omissão: período de incubação dos microorganismos! Não se fica contaminado e logo doente de imediato! Até aparecerem sintomas fica uma sala toda contaminada!

    Beijinhos

  6. Pura verdade, neste momento estou em casa com a minha filha há uma semana…. Como eu lhe percebo.

  7. Ana Gonçalves

    Acredito que se uma mãe leva um filho para a escola doente é tudo menos por opção. Há empregos e trabalhos. Há contratos e contratos. Não olhem só para o vosso umbigo… Há situações complicadas, em que ficar em casa significa ficar sem trabalho… sem salário e sem comida na mesa…

  8. Célia Santos

    Concordo plenamente com o comentário da Ana Gonçalves! Claro que há exceções, mas uma mãe/pai não deixa um filho doente na creche de ânimo leve.
    À autora do texto deixo esta questão: porque são as outras crianças a contaminar o seu filho? Tem a certeza que nunca o deixou doente sem saber ( porque o vírus está incubado e ainda não apresenta sintomas) a contaminar todos os outros?!?!? Acho que essa certeza ninguém poderá ter porque quando eles revelam os sintomas já contaminaram uns quantos!

  9. Sandra Alves

    E nós professoras bem pedimos para que não levem os miúdos doentes para a escola…. pegam aos colegas, à professora e aos filhos da professora 😣

  10. Ana Santos

    Estar constipado e com ranho não é doença. Não faz sentido uma criança com rinite/sinusite ficar em casa só porque tem ranho. No meu caso, passava 1/2 ano de baixa com o puto em casa.

  11. Cristina Ferreira

    Um facto muito importante que se esqueceu de ter em conta, no caso de viroses ou outras doenças contagiosas, elas têm um período de incubação, no qual a criança não apresenta sintomas, mas já pode contagiar os demais. E quando os primeiros sintomas aparecem, mesmo que os pais fiquem com elas em casa, não podem ser responsáveis pelos possíveis contágios que tenham ocorrido. Para muitas das doenças infecto-contagiosas infantis já há vacinas disponíveis, inclusive para as gastroenterites viricas. Verdade que algumas não fazem parte do plano nacional de vacinação, mas é uma opção a ter em conta. No meu caso eu optei por fazer um sacrifício económico e optei por vacinar os meus filhos. Até hoje só uma vez é que um deles veio para casa com diarreia e já muitas vezes ouvi os educadores e professores a alertar para ter atenção ou para um surto de varicela, ou sarampo, ou mesmo gastrointerites ou as ditas chamadas viroses.

  12. E crianças contagiam as crianças, as criancas contagiam.os pais… e os educadores e auxiliares no meio disto tudo passam o ano letivo em.modo “virose” permanente !!! 😉

  13. Há coisas que não podemos adivinhar. Menos que me diga que o seu nome do meio é maya. A partir do momento em que se detecta qur o miúdo está doente, conjuntivite, febre whatever, há que tomar medidas. E uma delas é cuidar deles e evitar contaminar outras crianças.

  14. Sílvia Ferreira

    isso mesmo sei o que é Ana Gonçalves … trabalhar não ficar em casa mas arranjar a avo para ficar pk temos de manter o posto de trabalho e ficar sem receber vários meses .. enfim cada um é livre de pensar o que acha… e deixei o meu trabalho na minha area para ir ganhar metade para perto de casa para o meu marido partilhar o sorriso de cada dia, as febres e pronto lutamos e a melhor coisa do mundo SER MAE <3

  15. Confesso que a mim também me apetece muitas vezes bater nos pais que deixam os filhos na creche com o nariz todo ranhoso, mas depois de ler as palavras da Ana Gonçalves engulo em seco (e espero não soar pretensiosa) e lembro-me que, apesar de não ter também as melhores reacções dos patrões às ausências por doença, apesar de tudo tenho uma situação familiar e profissional que até agora me permitiu sempre poder tirar o miúdo da creche quando está doente. Custa pensar que o filho fica (mais vezes) doente por causa dos outros miúdos da creche, mas nem sempre nos ocorre que os pais desses miúdos podem realmente não ter outra opção.

  16. Fátima

    Nem toda a gente pode ficar com os filhos em casa quando estão doentes infelizmente.Se cada vez que a minha filha fica doente fosse ficar com ela em casa já tinha morrido a fome.Porque se não trabalhar o dinheiro também não entra.Por causa de um virose de merda três dias de febre e está bom não ir a creche era todas as semanas.Pesso desculpa fazer parte dos pais da merda mas a minha filha precisa de ficar exposta e criar as suas próprias defesas,quanto mais protegidos pior.

  17. Ana Gomes

    Acho que nenhum pai vê os filhos doentes e pensa: “Na escola é que estás bem!” Nenhuma mãe/pai põe um filho doente camuflado na escola porque não está para se sentar com ele no sofá a dar miminhos e a baixar a febre. Tenho 2 filhos com 16 meses de diferença, tive 3 anos para arranjar trabalho porque bastava a pergunta: “tem filhos?” para o meu CV deixar automáticamente deixar de interessar… Há mães/pais que não têm avós com quem contar porque também eles trabalham… Para quem os dias de assistência à família são uma linda ilusão…

  18. Minha cara Ana Gonçalves, não sei se fala com conhecimento de causa ou não, é uma opção mandar uma criança para a escola doente, pq se um adulto não se sente bem quanto mais uma criança q quase não se sabe exprimir, para essa mãe ou pai ir trabalhar ficam outros que dão prioridade aos filhos e correm o risco de verem colegas passarem a frente à verem progredir e nos pq preferimos dar o melhor aos nossos sujeitamo nos é não olhamos para o nosso umbigo mas sim para os nossos filhos!!!

  19. Navarro

    Nem toda a gente pode ficar em casa ou tem chefes compreensivos, ou a liberdade economica ou estabilidade economica do casal de poder receber menos por estar de baixa. Eu fiquei em casa com o meu filho tambem, uma bronquiolite que se repetiu durante 3 semanas. E depois impossivel de continuar, e la foi ele para o infantario. E sim, rompe o coraçao de o fazer, e sim preocupo-me dos outros tambem, mesmo dos que contagiaram o meu filho de 5 meses com conjuntivites, bronquiolites e gastroenterites. E uma vez que todos passaram por tudo, já estao todos bons, em forma, infantario completo, e cheio de sorrisos. Sim, é uma chatice que estejam doentes por causa dos “virus dos outros”… que por acaso até podem ser dos nossos e manifestar-se em tempos diferentes. Mas que Mae julga os pais dos outros sem conhecer a sua realidade, ou acusando-os basicamente de nao quererem que os filhos recuperem bem em casa antes de voltarem rijos à escola?? Um bocadinho de mais nao? Obrigada

  20. Teresa Oliveira

    Pois, eu também compreendo. Mas por cada pai com más condições laborais, se calhar na mesma sala da creche temos mais 5 ou 10. E em vez de haver só um puto doente passam a haver 5 ou 10 cujos pais se calhar também não estão em situações tão boas assim. O problema é se os filhos desses não se aguentam só com o benuronzinho… Ah, pois, mas isso já não é problema para o primeiro pai, que o filho dele já nem está doente… Por isso é que existem regras e essas dizem que filhos doentes ficam em casa… Gostaria de saber o que esses pais sentiriam por serem responsáveis por um surto de meningite…

  21. Concordo com tudo o que diz, e acrescento o seguinte. Penso que os pais que levam os filhos doentes para a escola por não terem outra opção, muitas vezes até o confessam as educadoras e pedem ajuda para tratar o seu filho, devem ser ajudados . Sou solidária com esses país
    Quanto aos outros tipos de pais dissimulados, penso que se conseguem identificar, como tal, nada como falar directamente e proibir o que está proibido,”levar meninos com situações contagiosas para a escola”.

  22. Susana Lobo

    Pois eu concordo. Gostava de poder enviar uma carta como a sua aos pais que mandam as crianças para a escola doentes….
    Ao fim de 30 anos como educadora já não me enganam mas se não tem febre…
    Para enviar a criança de volta para casa tenho que justificar porquê. Depois há aqueles que dizem que não podem ir buscar antes da hora de saída e no dia seguinte lá estão.
    Há dias em que a sala mais parece uma enfermaria.
    Todos os anos tenho uma gripe não há vacinas que resistam a todas as estirpe a que estou exposta.
    Isto é um desabafo, adoro o meu trabalho e lamento o comportamento destes pais.

  23. Quem nunca pecou que atire a primeira pedra…eu também tinha esta opinião quando era mãe de primeira viagem… com a segunda deixamos os radicalismos de lado. Sempre discussão em casa sobre quem falta para ficar em casa com a filha doente, e com duas duplica a quantidade de vezes que temos de o fazer. Mas eu não tenho avós para ajudar e não tenho assistências a família (profissional independente). Então imaginem que tenho julgamento marcado há meses e não posso faltar porque juiz não se basta com justificação de “não há julgamento porque filha da advogada está doente” e meu marido está no meio de uma crise no trabalho em que site do banco para o qual ele trabalha não funciona e milhares de pessoas não conseguem fazer operações financeiras …then What????? Pois é…a mais nova foi sub febril e ranhosa p o colégio …sem qualquer apelo nem agravo….não havia outra opção …isto para dizer…não cuspas para o ar porque pode cair te em cima 😊

  24. Claudia

    O ano em que o meu filho passou melhor foi o ano da Gripe A, em que foram tomadas medidas. Se esta pratica se tivesse mantido, as doenças e as faltas reduziriam certamente!
    Filho doente com doença contagiosa, fica em casa! Pai doente com doença contagiosa, fica em casa!
    Chama-se civismo!
    Sras educadoras e auxiliares de educação: quando uma criança vai até si pedir para assoar o nariz, faça-o com um lenço limpo!
    Isolamento para os que têm que ir à escola, já que não há proibição de irem.

  25. Joana Malfita

    Nem sempre se tem outra hipótese. Nem sempre sofrendo, e mesmo sofrendo as consequências possíveis, se pode faltar. Nem sempre se tem outra pessoa com quem deixar os filhos. Este foi o primeiro ano da minha filha na creche. Tem estado doente quase todas as semanas desde outubro. Nem sempre fica em casa. Depende do que tem. Nunca foi com febre, mas já teve de esperar, com febre e medicada pela escola, que a pudesse ir buscar. Nos períodos de incubação de muitas doenças a maioria das crianças não tem qualquer sintoma. Sou professora. Sei disso perfeitamente.
    Já agora… piolhos? Por favor! Ninguém fica em casa porque tem piolhos. Isso é ridículo! Façam o tratamento bem feito, limpem bem as cabeças e avisem a escola.

  26. Maria Silva

    Compreendo o ponto de vista, mas infelizmente não tenho ninguém com quem deixar a minha filha quando fica doente. E como eu já ganho um ordenado de miséria, a baixa deita abaixo as finanças do mês, e nem todas as chefias são compreensivas. E Já me recusaram a filha na escola por ter febre de 38 e não tive outro remédio senão levá-la comigo para o trabalho! Ou seja, tirei-a da escola para não contaminar outros meninos ao brincar com eles, mas coloquei-a rodeada de adultos, obrigada a estar em silêncio, sem poder brincar nem correr, aborrecida até aos cabelos e triste! O que é melhor????

  27. Eu nem consigo acreditar que os pais deixam os filhos na escola doentes. Por aqui graças a Deus em 5 anos o que apanhou foi uma conjuntivite e otite, fora constipações. Mas diarreia, vómitos e outras coisas mais, nunca tiveram. 🙏🏻

  28. Maria Costa

    Nunca vi tantas viroses nas salas de aula como agora…sou professora há 28 anos e asmática. Também sofro na pele. A verdade é que vejo os pais muito aflitos porque não devem faltar ao trabalho depois de terem gasto os dias de apoio à família…será que não são as políticas de incentivo à maternidade que estão desactualizadas?também não ouço falar que vão mudar. Sou avó e também não posso apoiar pois a reforma só virá aos 66 anos e 3 meses…

  29. Carolipas

    Atenção ao que escrevem em blogs. Não existem surtos de sarampo em Portugal.

  30. Cátia Marques

    Existem doenças de evicção escolar, até existe um decreto de lei com a lista dessas doenças e respectivo período de evicção. Pelo amor de Deus, ranho não é doenca. Vão andar sempre com os vossos filhos numa redoma? Se toda a gente tiver de trazer o filho para casa de cada vez que este tem ranho, ou diarreia, ou mesmo febre de um dia.. não havia crianças nos infantários! Tenham lá um bocadinho de calma..

  31. Como sempre, as generalizações são perigosas! Há pais e pais! Há doenças e doenças! E há profissões e situações profissionais para todos os gostos! No meu caso, tive de optar: Ou gozava a licença completa colada com as férias e ficava mais tempo em casa com o meu filho, antes de entrar para a creche e ficar sujeito a qualquer tipo de doença ou reduzia as férias, retomava o meu trabalho, com um chefe novo, que não conhecia o meu trabalho e que talvez não visse necessidade em renovar o meu contrato! Como em tudo na vida, há sempre alternativa. Mas os filhos serem a nossa prioridade, não passa sempre por ficarmos em casa com eles quando estão doentes (se não tivermos quem mais fique com eles). É muito fácil criticar as opções dos outros! Mas as realidades de cada um, só os próprios as conhecem! No meu caso posso dizer que sou uma privilegiada, pois basta-me dizer ao meu chefe (homem) que o meu filho está com febre que, antes de terminar a frase, já me está a mandar para casa cuidar dele. Sei que, infelizmente, não é a realidade deste país! E sim, há dias en que faltar prejudica não só o nosso trabalho, como o de tantas outras pessoas, pois não trabalhamos só para nós próprios. E por isso, sim, também já tentei, não mascarar, mas esperar que com um benuron ou brufen a coisa passasse e… Espantem-se!!! Não é que, por vezes, passa? Moral da história: Cada caso é um caso!

  32. Cátia Sousa

    O 1 ano do meu filho na creche foi um pesadelo, 3 bronquiolite e uma pneumonia (entre os 5 meses e 9 meses de idade).
    Por não poder ter mais nenhuma infecção respiratória, esteve impedido pela equipa médica de frequentar a creche 2 meses, até que chegasse a primavera.
    Sim, é o meu filho tem todas as vacinas extra do plano.
    Esgotei os 30 dias de baixa, e trabalhos em part time 2 meses eu e o meu marido.
    Estava fora de questão o meu filho estar doente na escola.
    Os outros pais não podiam faltar, mas os outros (eu e marido, já podíamos.
    Todos , têm que trabalhar para ter dinheiro, mas quando se tem um filho, ele é o mais importante, o maior tesouro e deve ser amparado e tratado.
    Pais que levam filhos doentes para a escola são de uma negligência ímpar.

  33. O 1 ano do meu filho na creche foi um pesadelo, 3 bronquiolite e uma pneumonia (entre os 5 meses e 9 meses de idade).
    Por não poder ter mais nenhuma infecção respiratória, esteve impedido pela equipa médica de frequentar a creche 2 meses, até que chegasse a primavera.
    Sim, é o meu filho tem todas as vacinas extra do plano.
    Esgotei os 30 dias de baixa, e trabalhos em part time 2 meses eu e o meu marido.
    Estava fora de questão o meu filho estar doente na escola.
    Os outros pais não podiam faltar, mas os outros (eu e marido, já podíamos.
    Todos , têm que trabalhar para ter dinheiro, mas quando se tem um filho, ele é o mais importante, o maior tesouro e deve ser amparado e tratado.
    Pais que levam filhos doentes para a escola são de uma negligência ímpar.

  34. O 1 ano do meu filho na creche foi um pesadelo, 3 bronquiolite e uma pneumonia (entre os 5 meses e 9 meses de idade).
    Por não poder ter mais nenhuma infecção respiratória, esteve impedido pela equipa médica de frequentar a creche 2 meses, até que chegasse a primavera.
    Sim, é o meu filho tem todas as vacinas extra do plano.
    Esgotei os 30 dias de baixa, e trabalhos em part time 2 meses eu e o meu marido.
    Estava fora de questão o meu filho estar doente na escola.
    Os outros pais não podiam faltar, mas os outros (eu e marido, já podíamos.
    Todos , têm que trabalhar para ter dinheiro, mas quando se tem um filho, ele é o mais importante, o maior tesouro e deve ser amparado e tratado.
    Pais que levam filhos doentes para a escola são de uma negligência ímpar.

  35. Não poderia estar mais de acordo! Não sou mãe, mas sim Educadora de Infância e deparo-me com este problema diariamente. Os pais omitem que os filhos passaram mal a noite, e que lhes deram um ben-u-ron, e não só contagiam os filhos dos outros como também contagiam Educadores, Professores, Auxiliares de Educação! E ainda ficam super ofendidos quando telefonamos a pedir que venham buscar as crianças à escola, pois estão doentes! Complicado, será uma “guerra” difícil de combater!

  36. Silvia Gonçalves

    Felizmente tenho um emprego decente, que me permite faltar se precisar, com penalização no ordenado, mas sem o medo de vir para o olho da rua. Sou mãe, se os meus filhos estiverem doentes ficam comigo ou com o os avós, mas conheço muita gente que sem o infantário ou a escola ficam sem chão e que lá deixam os filhos de coração apertadinho, ou é isso ou ficam sem poder pôr comida na mesa. Conheço gente que vai trabalhar a cair de febre, porque não se pode dar ao luxo de faltar. Pensem um pouco antes de julgar seja quem for. Já aqui falaram no período de incubação, que não há como evitar, mas basta nós andarmos na rua, no metro, no autocarro para apanharmos viroses e levá-las para os nossos filhos em casa. Não podemos viver numa redoma. Eu cuido de crianças doentes e não lhes viro as costas por medo de ficar doente. E fico, muitas vezes. E contagio toda a gente lá em casa, por muito cuidado que tenha. Não podemos ser radicais. Havia crianças que passavam uma semana na escola por ano. E quanto aos piolhos, foi tudo dito 😉

  37. Sandra Silva

    Acredito que este texto, até tenha sido em tom de desabafo porque muito sinceramente, se lhe tinham falado que ia faltar ao trabalho por causa do seu filho estar com diarrea, viroses e outras coisas do genero…ia deixar de ter filhos?? É que não me parece… eu até concordo consigo mas la está, existe periodos de incubação nunca se sabe quem pega a quem, apenas acho que perdeu a razão com os insultos…

  38. Barbara

    Toda a gente pode e deve e tem o direito a assistencia a filhos. Aqui levanta se a eterna questao…de que alguns patroes exercem certa coacao quando o trabalhador pretende exercer esse direito.. Basta vermos o caso das gravidas que querem is as consultas de vigilancia (cujo filho tem direito)… Da mulher que esta a amamentar (cujo filho tem direito)… Da flexibilidade de horarios para apoio parental (cujo filho menor 12 anos tem direito) Etc…. Levantam se outras questoes.

  39. Maria Martins

    Como eu compreendo, sou mãe de gêmeos e não tenho a quem os deixar e, quando um fica doente tenho que ficar com os dois em casa. Mas não podemos esquecer que qdo os nossos filhos vomitam ou estão com diarréia ou até mesmo febre eles já contagiaram outros você versa, pois a virose não se deu na hora, mas já tem dias. E é uma bola de neve. Também sei que há pais que não ligam e é o deixa andar. Como mãe de gêmeos estou solidária com a publicação.

  40. Célia Figueira

    queria deixar aqui o meu testemunho como mãe que entende o quanto complicado é ter que estar ausente do trabalho, seja porque motivo fôr, e como educadora que recebe diariamente na sala crianças “mais ou menos” saudáveis. Percebo que nem todos os pais têm facilidade de faltar com frequencia ao trabalho e que certamente não os levaram de animo leve para a escola quando estão doentes. Mas deixo uma questão: Quando os pais estão com gastroentrite, a vomitar e com diarreias líquidas, vão trabalhar ou pelo menos sentem-se com vontade de tal? Então como acham que os filhos se sentem?

  41. Compreendo os vários pontos de vista… agora acompanho o meu filho sempre e fica em casa mal haja sinal de doença. A verdade é q isto so é possivel pq tou desempregada. Inda me souberam dizer q vinha embora pq faltava demasiado e o meu flho tava sempre doente…. mas no fim da conversa q era uma boa mãe! Agora fica-me o consolo de ser boa mae mas n ter dinheiro no bolso….
    Muito ingrata esta discussão!

  42. Para mim é olhar pro próprio umbigo da mesma forma pois nao querem perder os trabalhos e em vez disso meus filhos ficam doentes e nós maes responsaveis nao os mandamos pra escola para nao pegarem nada aos outros e porque realmente é desumano mandar crianças doentes pra onde quer que seja e nós é que perdemos nossos trabalhos, nao quer perder o seu mas faz com que eu perca o meu. Pense nisso. E tem muitos país que tem filhos doentes porque nao cuidam deles direito, vao no carro e em vez de tirar o casaco, escancaram o vidro e esquecem que a criança vao la atras a levar com a brisa gelada e muito mais coisas e eu que ate exagero as vezes nos cuidados com os meus sou obrigada a levar com os virus vindos das crianças desses pais anormais acha isso justo? Eu ca nao acho e mais uma vez repito que acho desumano mandar crianças doentes pra qualquer lado ate pirque estamos a expor nossos filhos a condicoes de extremo perigo pois podem piorar.

  43. No meu caso (e olhem ja aconteceu varias vezes) os pais ainda vem dizer que estao ansiosos de saber como correu o dia ( na porta da escola emquanto esperamos) pois mandaram as crianças doentes pra escola por falta de opçao lol, que lara a deles. Pais estes que a meio do ano tiram ferias 2 ou 3 dias pra ficarem com fim de semana prolongado mas ainda assim mandao os filhos pra creche ( no caso da escola é diferente eles nao podem nem devem faltar) para nao os aturar. Para aqueles pais que os mandao porque nao tem opcao ( nao querem perder os trabalhos) nao se esquecam que para nao perderem o vosso vou eu perder o meu só porque dou prioridade ao meu filho.

  44. Cíntia

    É por isso que hoje trabalho como esteticista, faço o meu horário, manobro a minha agenda quando os meus pequeninos precisam de mim, eles em primeiro lugar. Sei que tenho me prejudicado profissionalmente algumas vezes, mas isso não me interessa pra nada… Sei que estou a cumprir o meu papel, ser mãe!

  45. Dulce Santos

    Este mês ja foram 6 dias de assistência a família…Primeiro a mais velha que tem 9 anos com uma virose…Depois a mais nova que tem 5 anos com uma conjuntivite. Compreendo perfeitamente as maes em que lhe é impossivel faltam em tal dia…Também eu tive de faltar e trazer trabalho para casa na mesma porque os prazos sao para cumprir e as multas sao muito altas se nao forem cumpridas. Sorte daqueles que têm avós com quem deixar os filhos , porque eu infelizmente nao tenho essa sorte

  46. Catia Silva

    para mim a questao é so essa..enviar uma crianca para a creche que esta doente e com as defesas naturais em baixo para um ambiente em que esta sujeita a mais tipos de virus??

  47. E qyando sai as educadoras e as auxiliares a contaminar os miúdos???
    Assistência à família é pago a 80% e o patrão nao pode despedir

  48. Luís Manuel

    Os problemas relados nos comentários de faltar não faltar só existem porque as mães e pais votaram naqueles três partidos do costume.

  49. Já agora, pode reflectir um pouco nestas frases escritas tão a quente: acha que o seu filho, que até só vomitou ao jantar e no dia seguinte já nem foi (e bem) à escola, não contagiou nenhuma criança nem adulto com quem conviveu?
    A mesma bactéria que causa um ranho a uma criança pode causar uma otite noutra, uma pneumonia complicada noutra e meningite noutra… É inevitável a maioria das infecções…
    Compreendo o desespero de um filho doente e da falta de alternativas, mas a culpa não é só dos outros pais…

  50. Maria Silva, uma criança com febre, com 38, pouco disposta está para brincar. Parece-me uma pessoa pouco atenta ao comportamento de uma criança doente. As minhas filhas quando estão com febre o q querem é colinho!!!! Não andam a saltar e a correr…. E os adultos q ficam a rodear a tal criança nao podem interagir mais c ela?, pois ao q parece até é uma criança q apesar de doente, não fica prostrada. Sorte a sua!!! Cabe ao adulto o esforço de distrair a criança!
    Sabe o q acontece na maior parte das vezes??? Pais mandam os filhos p a escola doentes porque tomar conta deles em casa dá trabalho. Uma criança doente dá trabalho! Agora pensem o q é deixar um filho numa sala com 20meninos e duas pessoas a tomar conta? Sabem onde provavelmente se encontra a criança? Deitada no chão, num canto, se calhar cheia de dor de cabeça, dores no corpo, sem o amparo de um colo. Sim, porque não dá para uma educadora e uma auxiliar passar o dia todo a cuidar dessa criança doente, quando têm mais 19wo encargo.

  51. Há pais q não conseguem gozar a tal baixa p assistência ao filho porque as chefias não são compreensivas, até são coagidos a não fazerem. Muito bem, até aí, entendo…. Mais existe outra coisa chamada FÉRIAS! Porque não tirar uns dias de férias para ficar em casa com o filho doente? Ah, isso são outros 500… Ninguém quer perder os dias de descanso na praia em prol de crianças doentes em casa. Acho q em muitos casos o que falta mesmo é amor a um filho.

  52. Claudia Rodrigues

    Entendo que para alguns não seja fácil nem possível estar sempre a faltar por causa dos miúdos. Eu sou trabalhadora independente por isso vou gerindo o meu trabalho de acordo com as necessidades dos meus filhos ( neste momento estou em casa com o mais novo que está com uma super otite)! Mas nem sempre os meninos ficam no jardim ou na creche por necessidade. No jardim do meu filho os meninos que tem as mães em casa são os primeiros a chegar e os últimos a ir embora, estejam ou não doentes!! E até há meninos que vão para a escola com indicações dos pais para tomar brufen e ben-u-ron de 4 em 4 horas!! E isso desculpem mas não entendo nem concordo!!

  53. BlueButterfly

    Pois é! Essa é que é essa! E, muito possivelmente, quando é dia de ir a votos e o tempo está de feição para o bronze, qual é a urna que ganha? A de areia à beira mar, pois tá claro!
    Não é por acaso que estamos como estamos… Somos um país de abstencionistas que só olham para o seu umbigo quando os problemas lhes batem à porta.

  54. Ana Torradas

    Adoro… Os ” tomates” que eu precisava para dizer isso no infantário do meu filho… O meu filho tambem foi um caos e ás vezes ainda é. É o primeiro ano de infantário assiduo e mês a mês ele apanha qualquer coisa de diferente… Até um impedigo contagioso ele apanhou ( virus na pele)… Sorte que estou em casa senão teriam que me despedir por faltas no trabalho… é impressionante as vezes que vou levar o meu filho já saudável e vejo coleguinhas dele doentes, chorosos, ranhosos e com vontade de estar numa cama sem se mexer por uns minutos! Aí eu penso, onde estão os pensamentos protectores destas mães? é triste que o mundo esteja um quanto ou pouco estranho!

  55. eu vou com as aves

    Mandam, Bia, mandam. A educação ortográfica também é importante!

  56. Gabriel Costa

    Eu não sou mãe mas sim filho. Sinceramente não sei como os vossos putos ficam assim doentes, eles nunca ganharam defesas? Será que os vossos filhos nunca tiveram tempo de habituar o corpo a proteger-se das doenças? Passam assim tanto tempo enfiados na salinha limpa de brincar ou agarrados aos ecrãs para nunca deixarem o corpo habituar-se a defender-se? A culpa não pode ser assim atirada para cima dos outros pais sem pensar nas variáveis, aliás, penso que não terei sido a única criança da terra que não notava que estava mal de manhã mas sim à medida que o dia avançava. Nenhuma criança é igual a outra e nem sempre se pode prever como se vai ficar durante o dia. Porque não previnem que os vossos putos apanhem as doenças que outras crianças possam ter, com ou sem sintomas? Todos sabem que há as épocas mais propensas a haverem contágios de constipações, gripes, diarreias, tudo e mais alguma coisa, porque não lhes dão medicação e alimentos que ajudem a melhorar o sistema imunitário? Sim, essa é outra, os vossos filhos são bem alimentados? São habituados a comer os verdes? Aposto que metade dos pais que aqui dizem “Ah e tal concordo bastante” não querem saber, não dão importância à prevenção ou alimentação dos garotos e depois ainda vêm cheios de razão que a culpa é sempre dos outros. O meu sobrinho tem 7 anos, brinca na terra, anda descalço, apanha chuva… O rapaz deve ficar doente umas 2 vezes por ano no máximo, a minha sobrinha é mais nova, igual! Será que é a minha família que é assim tão rija? Ou são vocês que vestem os putos com 20 casacos cada vez que vem uma brisa? Que não lhes dão tempo para brincarem fora? Que não os ensinam a comer os vegetais? Que não se preocupam com solucionar os problemas antes de eles acontecerem? Aprendam a deixar os vossos filhos imunes e mal vão ter que se proecupar com doenças o resto do tempo. Podem dizer que não sou pai ou mãe, mas sou filho, irmão e tio, não comecem já a tentar “desvalidar-me” porque não sei o que é lidar com crianças.

  57. Não podia estar mais de acordo com este texto… infelizmente e por trabalhar a recibos verdes quando o meu filho tinha 2 anos mandei-o para a escola com uma bronquiolite que já estava a ser tratada (eu sou educadora e estava na sala ao lado) e a brincadeira saiu-me bem cara… a bronquiolite acabou em pneumonia e logo depois apanhou varicela e possivelmente por ter as defesas em baixo devido à pneumonia, da varicela fez uma encefalite… isto para dizer que em vez de ter ficado 3 ou 4 dias em casa fiquei 1 mês, sendo que 3 semanas foram no hospital com ele internado. Jurei para nunca mais… no entanto todos os dias recebo bebés doentes, cheios de viroses, mães que escondem as viroses e que dão medicação e não informam, mães que arranjam atestados em como a criança pode frequentar o infantário sem irem ao médico, etc… também eu apanhei uma gastro e trouxe para casa… resultado… quem acabou no hospital foi o meu filho que ficou toda a noite a soro… por isso sim… fiquem em casa pela saúde dos vossos filhos e dos nossos…

  58. Paula Almeida

    Completamente. O meu hoje ficou em casa, não têm febre, mas está muito constipado e cheio de tosse. Não acho que lhe faça nada bem ir para a escola tanto por ele, como pelos colegas.

  59. Jorge Grilo

    Realmente…
    Só para alertar que cada caso é um caso.
    E se realmente é mãe, deve por certo saber quanto custa deixar um filho doente seja com quem for.
    Sei que é a sua opinião, e que essa vale o que vale. Mas pense!

  60. Patrícia

    Oh “rapaz” disseste tudo….
    Muitos ficam doentes com tanta mariquice que não os deixam criar defesas…
    Mas a culpa é sempre dos outros…muito voltadas pos seus umbigos são estas novas gerações de mães e pais…

  61. Eu estou de acordo com o texto, mas claro que também sou solidária com quem não tem outra opção senão mandar os filhos doentes para a escola. Eu tenho 2 filhos (um menino de 3 anos e uma menina de 2) e este ano foi a primeira vez deles na escola e não tem sido fácil. Além das constipações que apanham o ano todo, ambos já tiveram gastroenterite que apanharam na escola e varicela que também apanharam na escola. Os meses de Março e Abril foram praticamente passados em casa a cuidar deles. Varicela então nem se fala, primeiro foi a minha filha que apanhou e esteve 10 dias em casa, agora estou em casa de novo com o meu filho há 6 dias porque agora foi a vez dele de apanhar a varicela. Não trabalho fora de casa por enquanto mas estou a fazer a minha tese de mestrado e tenho uma disciplina por fazer e quando estou em casa com eles não consigo fazer nada (nem estudar, nem fazer nada da tese). Por enquanto posso fazer isso, porque eles em primeiro lugar e não tenho que prestar contas a ninguém, mas se eu estivesse a trabalhar claro que seria muito complicado, pois os meus filhos não têm avós por perto para ajudar caso fosse preciso. Só temos a nós mesmos, eu e o pai deles. Mas claro que tb fico um pouco revoltada qdo vejo crianças a irem para a escola doentes, sabendo que vão passar para os outros as doenças. Nesse surto de varicela que tem tido na creche eles sempre me disseram que quando os meninos voltassem para a creche para levar declaração médica, e eu tenho seguido sempre isso, mas reparei ontem quando por acaso fui a escola buscar a minha filha que havia havia lá um menino que segundo a mãe tinha começado a ter as borbulhas de varicela na segunda e ontem (quarta feira) ele estava lá. Mas como é possível? pensei para comigo…não disse nada mas pronto claro que fiquei a pensar naquilo, porque o meu já tem 6 dias em casa e ainda n o levei porque ainda havia umas borbulhas que estavam em bolhas e qdo estão assim são altamente contagiosas. Mas pronto, pode ser que tb esta mãe não tinha outra opção…

  62. Não é só para os pequenos!
    A mensagem deve ser PARA TODOS!! SE estás ranhoso, fica em casa!! (ou usa máscara).
    Esta mer##a de andar na rua e nos empregos a contaminar o povo todo e a tossir como tuberculoso a torto e a direito não tem jeito nenhum.

  63. Boa noite , se esse foi o seu caso , porque motivo não lhe passaram a baixa de assistência a filho menor ( prevista na lei para situações como esta , em que a criança por motivos de saúde não pode frequentar uma escola )
    Parece me muito precipitado o julgamento que faz sobre outros pais , tendo em conta que tal como foi dito aqui , tendo em conta o período de incubação , é muito difícil detetar que uma criança já está doente e a contaminar outros pois !!!

  64. a varicela quando detectada em menos de 48h pode fazer antibiótico e ao terceiro dia não está mais contagiosa, dependendo do médico que se apanha, o meu filho teve a varicela ha anos e como havia vários na sala dele a terem estava alerta e detectei imediatamente no banho da noite, na manhã seguinte fui ao médico e ficou 3 dias mais o fim-de-semana e na segunda seguinte estava a ir para a escola, com tudo seco. também dei as vacinas extra plano ao meu o que nunca o impediu de ficar doente. Felizmente no meu trabalho nunca implicaram ( não directamente) e de vez em quando tb posso contar com a assistência da minha Mãe, que já aconteceu! Agora promoções, progressões e aumentos nem vê-los mas estava já mentalizada para isso. Há sempre um no casal mais prejudicado a nível profissional mas pelo meu filho e pelo seu bem estar fazia tudo de novo, ao há dinheiro que pague o colinho que se lhes dá quando ele mais precisa. E o meu é daqueles que com 39 de febre está bem e brinca, só se nossa pq fica rosado na face, o que é um perigo!!

  65. David Nunes

    Não tou totalmente de acordo e não se pode generalizar. Uma criança com tosse e com ranho ter de ficar em casa implicaria pais que só trabalhavam metade do ano, ou seja, por esta altura já não teriam trabalho nem como sustentar os filhos. Falar é fácil, claro que não mando o meu filho para a escola com febre ou conjuntivite ou qualquer outra ite, mas sim já mandei e vou continuar a mandar com ranho e com tosse, ainda hoje foi.

  66. David Nunes

    É fácil falar e é fácil para quem tem onde os deixar. Ainda hoje levei-o para a escola com tosse e ranho. Mas anda quase 6 meses assim. Se não o levasse ficava meio ano em casa e eu já não tinha emprego. Vivia do ar.

  67. Rita Elisabete Antunes Gomes Bacalhau Lopes

    Ainda bem que conseguiu progredir na carreira pois eu fui penalizada. Tenho pena mas não é bem assim. Já fui chamada à escola a correr porque o meu filho tinha borbulhas, disseram que era varicela e não passavam de picadas de insecto. E o meu emprego fica a 50 km de distância. O que fazer nestas situações?? E quem me paga esse dia? E os outros dias todos que tenho de faltar para ir ao médico pois quando tenho de faltar não falto umas horinhas mas sim um dia inteiro. As férias são todas gastas nessas coisinhas. Há escolas e que com razão aceitam crianças doentes. “se é aqui que apanham, porque não podem vir?”

  68. Eu percebo. A minha irmã quando tinha febre (e mesmo adulta continua a fazer febres de 40ºC, imagine-se em criança, que até convulsões fez) andava aos pulos pelo Centro de Saúde. Era ver as pessoas a reclamar por ela passar à frente sem consulta prevista porque era impossível que estivesse doente com aquele comportamento. As pessoas são todas diferentes, as crianças são pessoas, logo são todas diferentes também! E as situações são todas diferentes também. O ideal era as crianças doentes ficarem em casa, mas o mundo está longe de ser ideal.

  69. Os vírus não se apanham só na escola! É claro que se as crianças estão com febres altas e dormem mal e comem mal devem ficar resguardadas mas por elas não pelas outras! As crianças pequenas ficam muitas vezes doentes e não adianta protegê-las de tudo, isso até é pior! A minha filha nos primeiros 6 meses de escola vinha doente todas as sextas, mas tb ficou doente nas férias e tb apanhou varicela fora da escola! Mal de mim e dela se não saíssemos de casa com medo
    De apanhar mais um vírus! Relaxem um pouco! E acima de tudo não se chateiem com as outras mães!! Há crianças que passam o ano ranhosas e nunca estão mesmo doentes! Vão passar aos outros mas faz parte do crescimento!

  70. Só pra dizer que estou muito de acordo com o texto

    Conheço casos de perto de pais que deixam os filhos na escola, doentes, com a dita desculp que muitos de vocês aí falam “têm de ir trabalhar”
    Mas os casos específicos que conheço são trabalhadores por conta própria!! São gerentes!! Têm de ir trabalhar!!? Levem a criança para o escritório!! Pois têm essa hipótese ! Não para a creche !
    Se não contaminam os outros e depois os outros voltam a contaminar o vosso filhos e andam sempre nisto
    É um ciclo vicioso!

    Por isso a dita desculpa de “tenho de ir trabalhar” muitas vezes é isso mesmo, uma desculp

  71. Só pra dizer que estou muito de acordo com o texto

    Conheço casos de perto de pais que deixam os filhos na escola, doentes, com a dita desculp que muitos de vocês aí falam “têm de ir trabalhar”
    Mas os casos específicos que conheço são trabalhadores por conta própria!! São gerentes!! Têm de ir trabalhar!!? Levem a criança para o escritório!! Pois têm essa hipótese ! Não para a creche !
    Se não contaminam os outros e depois os outros voltam a contaminar o vosso filhos e andam sempre nisto
    É um ciclo vicioso!

    Por isso a dita desculpa de “tenho de ir trabalhar” muitas vezes é isso mesmo, uma desculp

  72. Concordo Ana. Gripes são muito comuns nesta altura. E uma pessoa pode apanhar tanto na escola como num elevador ou outro sítio qualquer. E um gripe não é um calamidade como este artigo a descreve e uma vez que a temos (um certo tipo) ficamos como que imunes, ganhamos resistência. Não podemos pôr os nossos filhos numa cúpula de vidro. E criticar os outros pais, a sua educação é o pão nosso de cada dia. E para que serve? Para nos sentirmos melhor com nós próprios? Este artigo é uma questão de ego. Cada pessoa tem a sua maneira de viver, educar desde que salvaguarde os direitos blá blá. Os pais podem estar a tentar garantir o melhor futuro possível para os seus filhos para os porem na universidade e ajudarem. De certeza que não levaram os filhos a vomitar para a escola.

  73. Sra. Claudia isolamento??? Pensa colocar duas ou três crianças numa sala impedidas de contactar até visualmente com os demais??? Para enviar a comida faz um buraco na porta??? Minha senhora tenha paciência com os seus comentários. Volto a repetir o que algumas mães já aqui disseram, para si e para a sra. Bri. Nenhum pai ou mãe deixa o filho na escola doente opção ok??!!
    Enquanto estão aqui a criticar pais e mães deviam se lembrar de criticar o sistema que em pouco protege quem trabalha e tem filhos… posso até dizer que infelizmente já vi quem até fosse ameaçada se ficasse de novo em casa….
    E se vai para casa como mete comida na mesa????
    Sim o sistema actualmente em portugal tem falhas graves para quem tem filhos e trabalha, as mães e pais, e por sua vez as crianças, são obrigados a adequar-se a este precário sistema.
    É triste… e é mais triste ainda não haver solidariedade entre pais e sim logo um acto de condenação, lamento pelos filhos que “apanham as doenças dos outros” mas lamento mais os pais “dos outros” que têm de tomar a decisão de os deixar na escola mesmo passando o dia com o coração bem pequenino e aflito.

  74. L.M, primeiro ponto, tenho pars mim que a senhora não tem nem terá qualquer tipo de moral acrescida para dizer a uma mãe que a mesma nao entende muito de crianças ou de crianças doentes por favor. Em segundo, é triste ver pessoas como a senhora que não têm compaixão ou compreensão, etc…
    No Colégio dos meus filhos e na minha vida pessoal ou profissional não conheço nenhuns PAIS que tomem uma decisão de deixar o filho na escola doente “porque é difícil tratar de crianças doentes”…. um bem haja pars si e para o meio em que habita.

  75. Enquanto mãe já passei por várias situações, nunca a de ter de mandar as minhas crianças para a creche ou escola doentes, mesmo que isso me custasse o meu posto de trabalho como já aconteceu. Sou muito cuidadosa e raramente tenho as minhas crianças doentes, as doenças que elas apanharam foi na creche/escola.
    É puro egoísmo mandar as crianças para a escola doentes, com medo de perderem os empregos, quando se tem filhos temos que estar preparados para tal. Há mais pais na mesma situação e os miúdos têm o direito de estarem a descansar quando mais precisam.
    O que não falta é trabalho, pode não ser o trabalho de sonho mas há. E os filhos? Não são o vosso sonho?
    Agora vão doentes para a creche/escola, quando crescerem e já forem adultos o que vão fazer aos pais?
    Vão fazer aquilo que aprenderam para não perderem o emprego, vão deixar os pais doentes sabe-se lá onde…

  76. Cada um tem o seu ponto de vista, eu também não mando o miúdo para a escola doente, no entanto também compreendo, principalmente os pais dos miúdos que estão constantemente doentes, pois se estiverem constantemente a faltar ao trabalho e se estiverem a contrato, já sabemos o destino deles.
    Depois não há frigorifico cheio de remédios para isto, para aquilo e para o outro e se calhar comida na mesa.
    O problema aqui é o estado em que as coisas estão, que leva pais a deixarem os filhos na escola mesmo estando doentes, porque imperativamente, TEM QUE SER SENÃO…

  77. Ana Cordeiro

    Como mãe que pode meter baixa, trazer trabalho para casa, dividir estes dias com o pai ou telefonar aos avós reformados mas fisicamente capazes, pergunto-lhe é fácil mudar as férias? Se é fácil, e já agora financeiramente possível, arranjar quem fique com as crianças quando a escola está fechada? A nossa creche até está aberta 12 meses por ano e nós somos “perfeitos” e não tiramos dias de férias sem os miudos. Falar de barriga cheia é fácil mas pôr-se no lugar dos que não têm a mesma sorte … é mais fácil julgar.

Escreva um comentário