Há pessoas que gostam de brincar com a vida e de emoções fortes. Elas fazem bungee jumping, elas conduzem rápido, elas chateiam mulheres que acabaram de parir. E nós temos uma que está farta e que tem umas coisinhas para dizer ao mundo. Nomeadamente que passar a vida a ouvir que o bebé é igual ao pai, é chato.

Texto: A Mãe do 3.º esquerdo
Ilustração: Rita

1 – Não, a licença de maternidade não são umas férias. Qualquer tipo de graçola – “então, isso é que foram umas férias” – devia dar direito a um estalo na cara ou uma bigorna na cabeça. Passo a explicar a diferença. Nas férias dorme-se, na licença, não. Nas férias lê-se livros, descansa-se na esplanada, vê-se filmes do início ao fim, na licença isso é uma utopia. Nas férias faz-se o que nos dá na real gana, na licença quem manda é o bebé. Nas férias os amigos querem sair connosco, na licença nem por isso – é que levamos sempre um bebé. Nas férias comemos petiscos a más horas, com calma – até se bebe um vinho – na licença temos sorte se conseguirmos comer uma refeição quente sem ter de interromper 50 vezes.

2 – Pergunta capaz de enlouquecer uma mãe de licença: “Então, o que tens feito?” A sério?! A sério!? O que é que achas? Dá vontade de responder: “Olha, finalmente terminei o livro do Jonathan Franzen, que andava para ler há imenso tempo, e reli o clássico Anna Karenina. Também tenho ido a vários ciclos de cinema europeu dos anos 60.” Como se tomar conta do bebé, deixasse tempo para muita coisa.

3 – Licença alargada? Ui… Que loucura. Cheguei mesmo a ouvir: “Está a gozar o que tem direito e o que não tem.” Pois, numa sociedade em que se valoriza o trabalho acima de tudo, da solidariedade, da família, gozar a licença alargada é muito bizarro. Atenção: a licença alargada não é o mesmo que hibernar como um urso pardo durante o Inverno. Nada disso. São apenas 3 meses, o que na vida de uma pessoa desta geração que poderá ter de trabalhar até aos 80 anos, não é assim tanto tempo. É verdade que nem toda a gente pode gozá-la, ficar com 25% do ordenado durante 3 meses é uma ginástica louca e, para muitos, impossível. Mas quem consegue gozá-la, observa dois comportamentos: quem valoriza e pensa – “Sim, senhor. É uma vez na vida e vale a pena aproveitar” – e quem fique a olhar para nós como se avistasse um ET. Atenção, um ET feio e viscoso. Como se fosse a coisa mais estapafúrdia do mundo.

4 – Não, não pode mexer no meu bebé, pessoa estranha que eu nunca vi mais gorda e que pode carregar consigo o vírus da gripe das aves. Lamento, mas este bebé não é para tocar. Muito menos mexer nas mãozinhas. É que as mãozinhas do bebé são a primeira coisa que ele põe na boca, logo fica todo infectado com os seus germes. Pode ver, sim. Mexer, não.

5 – “Ai, está muito mal habituado, anda sempre ao colo, adormece ao colo… Não pode ser.” Pode e deve. Sem colo é que a coisa corre mal. Se os bebés não fossem para andar ao colo, junto à mãe ou ao pai, a sentir o calor do toque, o carinho dos pais, nasciam a saber andar, como os cavalos. Vale? E não, não estamos a estragá-lo com mimos. Estamos só a mostrar-lhe que o mundo é um lugar fixe e que o amamos. Óbvio que isto tem um limite etário. Ninguém vai carregar um filho ao colo até ele ir para a universidade, ok?

Mae assassina

6 – Dar prioridade a carrinhos de bebés devia ser uma coisa normal. Só que não é. Já na gravidez se ouvia as velhinhas – sim, aconteceu-me – a dizer que gravidez não é doença, logo, podíamos esperar. Quando se fala de bebés, ui, ui. Passamos a explicar. O bebé que acompanha a mãe, o pai ou a avó nas compras, se ainda não está a chorar, é só porque em breve o irá fazer. É matemático. Os bebés têm pouca paciência, por isso, ajudem uma mãe sozinha e deixam-na passar com as fraldas e a comida. É que se compreendem que aquele senhor não deve ficar na fila porque só vai comprar um pacote de arroz, lembre-se que o pacote de arroz não chora, não grita e o senhor não terá de fazer malabarismo.

7 – Não, não vamos ficar felizes por o bebé chorar em todos os colos. Passo a explicar. Imagine uma festa de família, à noite. O bebé já deu o ar da sua graça, sorriu, brincou e começa a iniciar o processo de – “estou a ficar farto disto, quero dormir.” Parece que ao mesmo tempo, todas as mulheres da festa decidem que era mesmo giro pegar no bebé. Lá tentamos driblar a coisa, mas é impossível. Segue-se uma sucessão de colos, sempre a terminar com o bebé a reclamar, até chegar ao colo da mãe e dormir. Mas o melhor está guardado para o fim: “Ai, fiquei feliz porque ele não chorou apenas ao meu colo. Se não teria ficado com inveja.” Um tique nervoso começa a aparecer no olho esquerdo e imaginamos que damos um soco mesmo no meio dos olhos do interlocutor. Mas… não. Fica só na nossa imaginação.

8- A opinião geral das pessoas em relação aos bebés é que se choram, é porque tem fome. Franziu a testa, tem fome. Outra teoria muito frequente é a de que estão sempre cheios de frio. Mas o que esta subjacente a este pensamento muitas vezes é que, de facto, a culpa é da mãe. E a culpa, meus senhores, é a grande companheira da mãe. Tem frio? A mãe pôs pouca roupa. Tem fome? A mãe está a atrasar-se com a comida. Não dorme? Culpa da mãe, que o habituou ao colo. Irra.

9- Repetir, de cada vez que se encontra a progenitora e seu rebento, que o bebé é mesmo fofo e igual ao pai, torna-se cansativo. Não é necessário frisar isso sempre que a vê, como que dizendo: “só serviu para transportar o bebé no ventre e alimentá-lo, de resto, podia ser filho do seu marido e da senhora da padaria.” É chato. Entenda isto – está a falar com uma pessoa que passa 24 horas às ordens daquele bebé maravilhoso, logo, é um bocado ingrato ver que nem um raio de um genezinho passou para o seu rosto rechonchudo. É não dar valor ao trabalho da mãe. Ah, e não vale invocar parentes afastados do pai. Isso, minha gente, é jogo sujo. É o mesmo que cuspir no rosto olheirento da mãe.

10 – “Ai, está tãaaao habituado à mãe.” Dizer esta frase como se fosse uma coisa negativa, com aquele olharzinho de crítica a avisar que quando for trabalhar, o pequeno vai ficar em lágrimas, não se faz. Porque, vamos ser sinceros, querem que o bebé esteja habituado a quem? À vizinha do lado? À senhora da farmácia? Ao canalizador? Juízo, pá.

Autor

53 Comentários

  1. Ana Melo

    Sem tirar nem pôr! Parem de chatear as mães com tanta opinião e palpites 😉

  2. É mesmo isso, já agora acrescentar na 8 os dentes, ainda que o bebé só tenha 1 mês, qualquer coisa que se passe é dos dentes 😉

  3. Nuno Ferreira

    É que está tudo certíssimo. Sem tirar nem pôr!

  4. Muito bom!!! Se eu entendo todos esses sentimentos…
    Acabei de ser mãe pela terceira vez e continuo a ouvir essas mesmas coisas… certo é que no primeiro filho incomodava-me mais, agora estou quase imune, utilizo a tecla “mute” e ignoro ou então uso a frase: “Bem, já tratei de 2 filhos bebés e fui capaz, com este não será diferente “!😡

  5. Carla Ramos

    Muito bom!!! Se eu entendo todos esses sentimentos…
    Acabei de ser mãe pela terceira vez e continuo a ouvir essas mesmas coisas… certo é que no primeiro filho incomodava-me mais, agora estou quase imune, utilizo a tecla “mute” e ignoro ou então uso a frase: “Bem, já tratei de 2 filhos bebés e fui capaz, com este não será diferente “!😡

  6. Beatriz

    Adorei!!! Gostava que algumas pessoas lessem este texto. Eu não tenho muita razão de queixa mas ouve se muita gente a falar o que não deve nos momentos mais impróprios.

  7. Lindo!! Uma coisa que me punha louca, mas ainda na gravidez era a pergunta ” Então já sabes o que é?”. Referiam-se ao sexo mas eu respondia sempre Deve ser um bebé!! Pai e mãe humanos por isso…. 😉 O que é como se pudesse sair uma girafa!!

  8. Acho que estou a um comentário foleiro, de me transformar numa assassina!!!! E o pior é que vai ser em série!!! Ouço estas coisas tantas vezes, que quem olhar para mim depois de ter proferido alguma destas coisas, já só vê olhos a revirar e uma boca a espumar!!! É que já não há pachorra!!!

  9. Andreia Cruz

    ADORO….. Adoro a parte em que me dizem que ele é igual ao pai…. Quando nunca conheceram a mãe quando era bebe! E sim, o meu filho é igual a mim quando eu era bebe! Enfim uma chapada era pouco!!!! 😜

  10. Amei!! É tão verdade!! Mas eu acrescentava 2 coisas:

    4 – não apenas os estranhos, mas qualquer pessoa!! A menos que andemos constantemente a desinfectar as mãos de todos os que se aproximam dos nossos bebes!

    11 (sim, acrescentava mais 1 ponto) – opiniões!! Se queremos opiniões perguntamos! Não queremos saber como educaram os vossos filhos ou se estamos a fazer alguma coisa diferente do que outros fazem!! Cada mãe sabe o que faz com o seu bebe e opiniões não solicitadas com hormonas pós-parto são o cocktail perfeito para a explosão!!

  11. Ana Miguel

    Sem tirar bem por, disse tudo.
    Adorei

  12. Maria Carvalho

    Adorei o texto. É MSM assim. Agora imaginem o k é estarem sempre a dizerem k é MSM a cara do sogro 🙁 😤

  13. Olá Mãe do 3o esq.
    Daqui Mãe do 3o esq traz.

    Habitualmente rio-me sempre com as crónicas aqui presentes. Esta foi tão cruelmente verdade que nem consegui sorrir. Tudo aquilo que quero dizer e nao consigo.

    Obrigada!!

  14. Tal e qual. Podia ter sido eu a escrever isto, se tivesse o seu jeito 🙂
    Ps- so faltava a historia que a bebe devia dormir sozinha no quarto dela e de preferencia das 20-08h seguidinhas. Lol So me apetece estrangular quem diz isto!! 8meses a acordar de 2/2h (no máximo!!) e a culpa é minha?!

  15. 4, 5, 6, 8, 9 e 10, tal e qual! Era capaz de acrescentar mais um par delas.
    Por exemplo: Aquela pessoa que sempre que nos vê tem de se referir à nossa figura: “Ah! Ficaste com barriga!”. Sim, por acaso era algo que me faltava e me fazia sentir incompleta! Obrigada por salientares isso pela vigésima vez.

  16. Adorei! Sem tirar nem pôr. Nunca tinha lido um texto sobre este assunto com o qual estivesse mais de acordo. Obrigada!

  17. Subscrevo a mãe Sofia e acrescento ao ponto ‘o problema é fome’ para quem deu/dá de mamar: a mama é da mae! A mãe e o bebe têm uma química biológica inexplicável..a natureza é sábia…não é uma qualquer pessoa que chega e opina sobre quando dar de mamar, como, que o menino tá magro pq o leite é fraco ou que é P dar água pq o leite é salgado..
    Também é indecente nos dias em que correm ouvir colegas no trabalho a sustentar a ideia de que gozar horário de amamentação é ‘um crime’, um ‘golpe ao servico’ ou ‘um horário de esplanada’…Juízo e cautela nas palavras que isto anda td a roda e nunca se sabe.

  18. Maria Lope

    Gostei muito … Prometo que vou ter mais cuidado quando estiver com as mamãs e os bebés 😍😘

  19. Timanini

    De facto não é fácil ouvir tudo isso, mas acaba por escrever num tom que quase parece que nada do que possam dizer poderá ser bom e que ser mãe é um fardo demasiado grande e que nada compensa.. mas no geral acho que até alguma razão.. como mãe também já senti um pouco daquilo que fala principalmente quando é de nosso direito passar à frente nas filas de supermercado.. mas quase que nos comem vivos, mas as pessoas habituaram-se a um ritmo de vida tao fugaz e querem tudo naquele momento sem terem paciência para esperar e quando veem a sua vez “ameaçada” disparam para cima de todos ate mesmo daqueles que estão apenas a fazer o seu trabalho.. enfim episódios tristes.. mas que no fundo o que devemos de reter são as boas coisas da vida.. porque essa acaba num instante e nada melhor que olhar para o sorriso dos nossos pequeninos e pensar que isso vale muito mais que tudo 🙂

  20. Outra :toda e qualquer pessoa te perguntar pelas tuas mamas! Se amamentas se é “peito” se é “mama”…. Uma vez foi um colega muito mais velho que eu com que só troco bom dia e boa tarde que me perguntou: dá a mama? Eu: não os meus filhos andam a cerveja e tremoços! Porra chatos!

  21. Miguel R.

    Sou pai de 3 crianças maravilhosas e, mesmo nesta “posição” (que não a de mãe), não podia estar mais de acordo consigo. Parabéns pela eloquência das suas palavras e não se esqueça: toda a gente opina e critica, mas no final do dia quem tem a maravilhosa experiência de estar com o seu bébé será sempre você (e o pai, presumo). Muitas felicidades para todos vós! MR

  22. Miguel M. R.

    Sou pai de 3 crianças maravilhosas e, mesmo nesta “posição” (que não a de mãe), não podia estar mais de acordo consigo. Parabéns pela eloquência das suas palavras e não se esqueça: toda a gente opina e critica, mas no final do dia quem tem a maravilhosa experiência de estar com o seu bébé será sempre você (e o pai, presumo). Muitas felicidades para todos vós! MR

  23. Rosa Gonçalves

    AMEI!!!
    por causa da licença de maternidade alargada o mais caricato foi na própria SS a sra funcionaria me ter dito que ninguém tira, que a minha entidade patronal não irá aceitar e que 150 dias são mais do que suficiente ah, e como vou sobreviver com apenas 25% do ordenado! 😑😑

    Nós é que somos as mães e leoas, portanto: não se metam no caminho e não opinem desnecessariamente!

  24. Susana Martins

    Desculpe fartei me de rir mas é a mais pura das verdades😂😂o que escreve até metem impressão com as observações

  25. Catarina Pinheiro

    Discordo altamente na parte de dizerem sempre que é igual ao pai (e dizem sempre mesmo). Não me chateia nada e acho normalíssimo, até fico contente de ter aqueles olhões pestanudos. Como costumo dizer a brincar, minha eu sei que ela é… Convém que ele também saiba 😀

  26. Não tiro nem uma vírgula!
    Acho que vi como uma check list e consegui fazer ✔ em todas.
    Obrigada pela partilha e pela maneira franca que escreve. Agora é só partilhar e ver se a carapuça serve 😉

  27. Subscrevo na íntegra e ainda há pouco tempo falei de vários destes pontos com uma amiga!
    No caso da licença alargada, adorava poder tê-lo feito mas infelizmente não me foi possível. Mas se, no regresso ao trabalho, já senti as “consequências” de um ano de ausência (baixa mais licença) aquando da marcação das férias para 2017, nem quero imaginar se tivesse prolongado a licença por mais 3 meses! O meu chefe disse-me com todas as letras “acho que devias ter alguma sensibilidade ao marcares as tuas férias devido à tua ausência”!!
    Eu estive um ano em casa em modo mãe e dona de casa desesperada. Nem à praia fui. Mas (lá está) como estive um ano em casa acham que estive de férias, logo, não posso pedir os períodos que quero gozar férias porque corro o risco de ser “insensível”!!

  28. Ana Mendes

    Lindo. Tudo o que sempre quis dizer mas faltou a coragem!! Ou ficou na minha imaginação. Mas olhem que ouvir ‘ se não fossem as maminhas da mãe ia comigo’ também é um forte candidato a ataque psicótico. Tipo ‘só serves para dar de comer e mais nada’.

  29. Filomena André

    Nunca tive oportunidade de ler e reflectir num texto que aborda as palavras que dizemos, por vezes sem intenção. São palavras que ferem o íntimo de uma mãe , que há pouco teve o (a) seu bebe e que lhe pertenceu , quase na totalidade durante nove meses. o (a) filho pode não ter os olhos parecidos com os da mãe, mas tem um coração enorme como ela e mais tarde as boas qualidades e bom íntimo, daquela que o (a) aconchegou durante toda a gravidez. Respeitem o enorme Amor que uma Mãe tem pelo seu filho!!!!!!!!!!!!!!!!

  30. Este texto fez me rir 🙂 tem muito de verdade escrito claro esta com humor. Temos que nos rir da situacao. Mas é verdade o que descreve 🙂

  31. Beta Figueiredo

    Eeheheh 😊😊😊 adorei . Fico a espera das próximas dez ehehehe 😉
    Uma mãe, sabe sempre o que é melhor para o seu bebé.

    Mãe do 4°B

  32. Nuno, experimentou este método? 🙂 Agora fiquei mesmo curiosa com a potencial eficácia !!!

  33. não sou mae

    irra aqui temos uma mae muito revoltada!!! esse bebe esta a deixar te doida o.O devolve-o!!!!

    um post muito bom, mas nao concordo com alguns pontos… paz

  34. Alexandra Pinto Correia

    Surpreendentemente real!!!! É que é meeeeeesmo isto, a “cena” da matéria.. e as opiniões e sugestões alheias são 100% dispensáveis!! Adorei a Simplicidade e a bruna verdade do texto, e já passei por ‘elas’ a dobrar!!! Então a situação quase hilariante das caras das pessoas das filas de supermercado quando eu, supergrávida ultrapassava tudo e todos nas caixas prioritárias!! O choque das pessoas (não prioritárias….Na caixa prioritária, entenda-se!!!) Era ridículo, mesmo quando eu ou a operadora de caixa explicamos o concerto de PRIORITÁRIO…Muitas vezes achavam que nos estavam a fazer um Mega favor!!!!!

  35. Alexandra Pinto Correia

    Surpreendentemente real!!!! É que é meeeeeesmo isto, a “cena” da maternidade…… e as opiniões e sugestões alheias são 100% dispensáveis!! Adorei a Simplicidade e a bruna verdade do texto, e já passei por ‘elas’ a dobrar!!! Então a situação quase hilariante das caras das pessoas das filas de supermercado quando eu, supergrávida ultrapassava tudo e todos nas caixas prioritárias!! O choque das pessoas (não prioritárias….Na caixa prioritária, entenda-se!!!) Era ridículo, mesmo quando eu ou a operadora de caixa explicamos o concerto de PRIORITÁRIO…Muitas vezes achavam que nos estavam a fazer um Mega favor!!!!!

  36. Surpreendentemente real!!!! É que é meeeeeesmo isto, a “cena” da maternidade…… e as opiniões e sugestões alheias são 100% dispensáveis!! Adorei a Simplicidade e a bruna verdade do texto, e já passei por ‘elas’ a dobrar!!! Então a situação quase hilariante das caras das pessoas das filas de supermercado quando eu, supergrávida ultrapassava tudo e todos nas caixas prioritárias!! O choque das pessoas (não prioritárias….Na caixa prioritária, entenda-se!!!) Era ridículo, mesmo quando eu ou a operadora de caixa explicamos o concerto de PRIORITÁRIO…Muitas vezes achavam que nos estavam a fazer um Mega favor!!!!!

  37. Fabiele

    Excelente matéria!!! A mim me aconteceu tudo já, é agora com uma bebê de 5 meses q faz hoje, é ” está tão habituada ao colo e a mãe” Santa paciência… cimo se vá negar amor carinho e miminhos a uma coisinha que tu fizeste? As pessoas não compreenden.

  38. Andreia Silva

    Simplesmente fantástico!!! Concordo plenamente!!!

  39. Acrescento ainda: “Ah! Mas já tem tantos dentes… está na hora de deixares de mamar, não está bebe?” Quero ensinar a minha filha a responder “A tua vidinha não te chega?” 😀 mas não está fácil!

  40. Liliana Oliveira

    Brutal. Ainda não sou mãe, o meu rebento está a caminho mas de facto já dei por mim a pensar em algumas coisas destas e não sei bem como vou reagir. Eu aceito uma boa sugestão mas opinar só porque sim da forma como faço as coisas, algo me diz que não vou tolerar.

  41. 😂😂😂 com a minha filha mais velha foi isso mesmo

  42. Ahahah TOP. A licença alargada foi a melhor opção da minha vida. Penso exactamente: na nossa geração a reforma é a cova e os felizes ludibridiados que vivem no mundo stressante e consumista ainda não se aperceberam. Se há licenças é pra gozá-las. Estou a meio tempo e isso faz-me ver o que perderia se estivesse enfiada num buraco a trabalhar que nem uma doida. A evolução de um ser humano é algo que deve ser apreciado…com calma. A aprendizagem com tempo é muito mais interessante pra eles e pra nós!! A do colo no entanto: Dei e dou (cada vez mais) muito colo à minha filha mas a regra do, se fechou os olhos vai pra espreguiçadeira, valeram-me 21 meses em que ela adormecia sozinha. Mas como tudo o que é bom acaba depressa… AHAHAHA

  43. Laura Ferreira

    Tal e qual!! As velhas na rua então são só bitaites: “Ai esse bebé vai ter muito frio!”/”Ai esse bebé está muito vestido para este calor!” e eu respondo logo: Chame a polícia, está à espera de quê?” e sigo o meu caminho 😂😂😂
    Também nos cafés tanto o staff como clientes que se metem com a minha filha de quase 4 meses no meu colo – possas que não nos deixam em paz em lado nenhum!!! – dizem “ele” e quando eu repito 3 vezes “é uma menina” e ouço “ah mas está vestida à rapaz…” porque eu detesto princesices, bem lá vem fúria de mãe leoa 😆

  44. Paula Duarte

    Tenho 3 filhos… 3 cesarianas…
    Com muita pena minha, mas sem opção de escolha temos que aceitar e move on
    Dos 3 a mesma conversa
    Ah é tal…foi cesariana
    Nunca me incomodou muito, mas do terceiro e passados quase 2 anos se me voltarem a dizer que não custa ou não dói…
    Sou bem capaz de matar alguém

  45. Ficaram a faltar os comentários sobre as cólicas … se chora é porque tem cólicas e se tem cólicas é porque a mãe anda a portar-se mal com o que come! A culpa, a culpa. E sobre o nome escolhido … é assim que se vai chamar? (enquanto fazem uma cara de quem comeu qualquer coisa que não gostou).
    De resto não tiro nem acrescento uma vírgula. Força mães de bebés piquenitos, daqui a nada são grandes portanto aproveitem bem.

  46. Sónia Teodoro

    Adorei! Super real! Falta acrescentar no meu caso: Não,não são gémeas, estavam em promoção! E não, NÃO PODE TOCAR! 😁

  47. Teresa Delaunay

    A de o filho é a cara do pai é verdade todos sabemos que isto é dito milhares de vezes mas às vezes resulta mal. Eu e uma amiga minha tivemos bebés ao mesmo tempo, um dia estávamos num casamento e tínhamos ao colo o filho da outra, Eu brincava com o filho da minha amiga e uma amiga aproxima-se de mim e diz-me: – oh pá é mesmo a cara do teu marido! Ao que respondo :- Pois mas este é o filho dela olhamos uma para a outra com os bebés ao colo e rimos… A amiga que dissera aquilo ,corada, mantem-se silenciosa e balbucia a palavra – Desculpa !!! Tenho a certeza que não voltou a fazer este comentário a ninguém 🙂 🙂

Escreva um comentário